João Pessoa 19/09/2018 08:51Hs

Início » Cidades » Alemão, Rafinha não descarta seleção brasileira

Alemão, Rafinha não descarta seleção brasileira

rafinhaSetembro de 2015. Rafinha, pede dispensa da seleção brasileira após ser chamado por Dunga para os jogos contra Chile e Venezuela pelas Eliminatórias da Copa 2018. Passados nove meses da polêmica decisão, o lateral direito do Bayern de Munique revelou o motivo que o fez tomar a decisão. Naturalizado alemão, ele disse que não fez isso pensando no futebol, mas sim na sua família, e não descartou defender o Brasil caso seja chamado por Tite.

“Eu me naturalizei alemão mesmo. Já faz alguns anos que estou no país e queria ter o passaporte para mim e para minha família, isso é de uma utilidade enorme, esse foi o objetivo, não tem nada a ver com o futebol, fiz porque vai ser uma coisa boa para minha vida. Não tive conversa nenhuma com o Low (técnico da Alemanha), a naturalização não foi por esse motivo. A gente fica feliz pelo Lahm ter indicado, mas não estou pensando nisso, quero desempenhar meu papel bem no Bayern de Munique”, disse ele em entrevista ao Portal da Band lembrando do companheiro de equipe que era capitão da Alemanha, mas se aposentou da seleção e tinha sugerido o nome de Rafinha para ser seu sucessor na lateral do país.

Rafinha vive na Alemanha há 11 anos, com uma rápida passagem pela Itália, onde atuou no Genoa. Pela seleção brasileira, não fez nenhuma partida oficial, jogando apenas amistosos e as Olímpiadas de 2008, que é pela equipe sub-23. Por isso, ele poderia defender a Alemanha. O lateral elogiou o trabalho de Tite e disse que irá conversar com o treinador caso seja chamado para defender o Brasil.

“Tenho que continuar com meu trabalho, só Deus sabe o que vai acontecer no futuro. Eu nunca fechei as portas para a seleção brasileira. Só acho que naquele momento em que fui convocado não era a hora de participar, já que eu não fazia parte do grupo. Agora claro, se o treinador achar que eu devo fazer parte, que tenho condições de brigar por uma vaga, estou à disposição. A gente senta e conversa com o Tite para saber o que ele quer e pensa com carinho. A seleção está no caminho certo, Tite é um treinador vitorioso, tem muito respeito e a gente torce pra ele ter sucesso”, comentou.

Se o futuro de Rafinha pode passar pela seleção brasileira isso ninguém ainda pode dizer, mas a naturalização alemã mostra também o carinho que o lateral tem pelo país europeu. Acompanhando a Euro 2016, em que a Alemanha está nas oitavas de final e irá jogar contra a Eslováquia no próximo domingo, ele torce para que o país onde escolheu viver seja campeão do torneio.

“A Alemanha está bem e a gente fica torcendo para que chegue na final e seja campeã. Acho que junto com a Espanha são as duas favoritas para a conquista. Com a chave que se montou ficou ruim porque muitos grandes vão ficar de fora, mas quem tem a ganhar com isso é o povo, grandes jogos”, analisou ele ao lembrar que se a Alemanha avançar para as quartas de final irá enfrentar o vencedor de Itália e Espanha, e em uma provável semifinal poderá pegar França ou Inglaterra.

Band