Cinco homens são presos e um adolescente é apreendido acusados de homicídios em CG

algemasA Polícia Civil deflagrou nesta sexta-feira (25) mais uma ação da “Operação Capturas” e prendeu cinco pessoas acusadas de participação em homicídios e tentativas de homicídio na cidade de Campina Grande. Um menor de idade também foi apreendido, acusado de participação em um dos delitos.

Um dos crimes teve como vítima José Ailton Paz dos Santos, morto a pauladas e pedradas no dia 1º de janeiro deste ano, no bairro do Mutirão. Após as investigações, os agentes cumpriram mandados de prisão em desfavor de Felipe do Nascimento Ferreira, 21 anos, e José Tiago da Silva Claudino, 18 anos. De acordo com o delegado Antônio Lopes, este crime já está completamente esclarecido.

Outro homicídio elucidado pela Polícia Civil nesta operação aconteceu no bairro da Glória, no dia 2 de março. A vítima Elias Pereira de Amorim, 35 anos, estava em sua residência com a esposa, Josefa Celemar Camilo dos Santos, quando os acusados chegaram e iniciaram uma discussão com ele.

Os suspeitos do crime são José Ednaldo da Silva Junior, 21 anos, e Suélio Alves da Silva (“Preá”), 22 anos. Um menor de idade também foi apreendido e um quarto acusado, identificado como Wesley da Silva Fernandes, teria sido o autor dos disparos. Ele é o único que está foragido. “Wesley começou a atirar na porta da casa, os disparos transfixaram a madeira e atingiram o casal. Instantes depois, Wesley bateu na porta da casa dizendo que era o Samu. Quando Elias abriu, foi alvejado novamente, vindo a falecer”, detalhou a delegada Tatiana Matos Barros.

A operação também prendeu o acusado de participação em mais um crime. Wagner Firmino da Silva, conhecido como “Araujo”, 32 anos, estava no grupo de pessoas que tentaram assassinar uma jovem de 19 anos de idade no bairro da Conceição, no dia 22 de março. A vítima foi atingida no tórax e teve o coração e o pulmão atingidos, mas conseguiu sobreviver. As investigações apontam que o crime foi encomendado pelo ex-namorado dela, identificado como Diego Jônatas Batista Rodrigues, que está sendo procurado pela polícia.

O superintendente da Polícia Civil em Campina, delegado Marcos Paulo Vilela, informou que Diego está no Rio de Janeiro. “Ele mandou a ordem de lá daquele estado determinando que a vítima fosse assassinada aqui. O pagamento pelo serviço seria um revólver, que já foi identificado como sendo de propriedade do mandante. Pedimos à imprensa que divulgue o nome desse acusado, porque ele é considerado foragido”, disse Marcos Paulo.

197 – A Polícia Civil dispõe de um disque-denúncia. Através do número 197, as pessoas podem passar informações que ajudam a polícia a prender criminosos. Não é preciso se identificar.

 

Wscom