João Pessoa 12/12/2018

Início » Política » Ciro desembarca em Fortaleza, mas vai embora sem declarar apoio a Haddad

Ciro desembarca em Fortaleza, mas vai embora sem declarar apoio a Haddad

O ex-ministro passou férias na Europa após o fim do 1° turno da corrida presidencial, em que obteve 12% dos votos válidos

O ex-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, frustrou as expectativas de seus apoiadores ao não declarar publicamente seu apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições 2018. O ex-ministro desembarcou por volta das 22h30 desta sexta-feira, 26, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, Ceará, seu berço político, e foi recebido com festa por centenas de simpatizantes.
Aos gritos de ‘o Cirão voltou’ e ‘Brasil pra frente, Ciro presidente’, o pedetista foi levado em meio à multidão até o carro, que o esperava. Ele viajou de férias para a Europa após o fim do 1° turno da corrida presidencial, em que obteve 12% dos votos válidos.
Continua depois da publicidade
Em 10 de outubro, três dias após o primeiro turno, o PDT aprovou “apoio crítico” à candidatura de Fernando Haddad. O presidente do PDT, Carlos Lupi, chgou a dizer que a decisão de se posicionar a favor dos petistas era ‘mais contra Jair Bolsonaro’ e ‘os riscos que ele representa’ do que efetivamente um apoio ao projeto de governo de Haddad.
Porém, no último dia 15, Lupi afirmou que a sigla não iria se empenhar na campanha do petista e que já começava a preparar a candidatura de Ciro Gomes para o Planalto em 2022.
Nesta sexta-feira, a dois dias da eleição, Fernando Haddad afirmou, em Salvador (BA), que o apoio explícito de Ciro Gomes poderia alavancar sua candidatura em até quatro pontos percentuais. “A gente vai ganhar uns 3 a 4 pontos com o apoio do Ciro”, disse. O ex-prefeito de São Paulo aguardava a manifestação de apoio, mesmo que fosse por vídeo gravado da Europa.
Pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada nessa quinta-feira, 25, mostrou o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com 56% dos votos válidos enquanto Haddad aparece com 44%. A diferença diminuiu seis pontos percentuais em relação ao levantamento anterior.
em