CIRO E CID GOMES mudam de lado e tentam reaproximação com Michel Temer; vice-rejeita.

CIRO E CID GOMES mudam de lado e tentam reaproximação com Michel Temer; vice-rejeita.

ciro e cidSe antes, tanto Ciro quanto Cid Gomes eram os protagonistas maiores dos ataques contra o vice Michel Temer, agora parece que a história mudou. Diante de uma crescente certeza, no meio político, de que Dilma não vai resistir ao processo de impeachment, os irmãos Ferreira Gomes põem em prática o que fazem de melhor: mudam de lado e de partido como quem muda de roupa. Por exemplo, Ciro Gomes, ao longo de sua vida pública, já mudou de sigla oito vezes. Desta vez, não será diferente. Vale a pena pôr em prática todo o pragmatismo político exercido principalmente por Ciro. Tudo para que seja estabelecido algum tipo de diálogo e conversação com o futuro presidente Temer.

Para atestar a postura prática dos irmãos, basta atentarmos para o fato de que, nos últimos três dias, o futuro candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, voltou todo o seu arsenal de ataques contra o governo de Dilma e suspendeu as críticas contumazes ao PMDB e ao vice, Temer. Ele chegou até a rejeitar a tese de novas eleições gerais proposta pelo deputado Domingos Neto. A intenção é que o futuro presidente peemedebista permaneça no pode até 2018. Certamente os Ferreira Gomes iriam ganhar tempo para conquistar a confiança do sucessor de Dilma e assim barganhar mais espaço e poder dentro do Palácio do Planalto.
A presidente Dilma, apesar de todo o clima de tensão nos últimos dias, percebeu a estratégia de ambos e tratou logo de impor e exigir lealdade ao governador do Ceará, Camilo Santana, seu companheiro de sigla.

Os planos de reaproximação de Ciro e Cid Gomes foram por água abaixo
Percebendo a manobra dos irmãos Ferreira Gomes, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), inimigo político número um de ambos, agiu a tempo. Junto com os deputados Vitor Valim e Genecias Noronha, ambos peemedebistas cearenses, reuniu-se com o próprio Temer. Depois de cobrado pelo deputado Valim, o vice comprometeu-se, diante da bancada do seu partido, em isolar tanto Cid quanto Ciro no lado oposicionista, caso seu governo venha a ser instalado. Ele foi mais além e declarou que daria a ambos o mesmo tratamento que os irmãos dão ao que estão na oposição cearense. O político concluiu o acordo, deixando bem explícito como seria esta relação: “com eles conversaremos nos tribunais”.

Blasting News