João Pessoa 14/12/2018

Início » Destaque » Ciro Gomes: Lula e o PT são traidores; o ex-presidente sabia de tudo

Ciro Gomes: Lula e o PT são traidores; o ex-presidente sabia de tudo

O ex-ministro brasileiro, Ciro Gomes (PDT), durante o lançamento de sua pré-candidatura para as eleições presidenciais de outubro pelo Partido Trabalhista Democrático, na sede do partido, em Brasília 08-03-18Foto: Sérgio Lima / Poder 360

Foi ruidosa, como é o seu estilo, a entrevista que o ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) concedeu ontem ao jornal Folha de São Paulo.

Leia algumas de suas declarações.

“Eu disse isso (que abandonaria a política, caso não fosse eleito) comovidamente porque um país que elege o Bolsonaro eu não compreendo tanto mais, o que me recomenda não querer ser seu intérprete.

“Entretanto, do exato momento que disse isso até hoje, ouvi 1 milhão de apelos de gente muito querida. E, depois de tudo o que acabou acontecendo, a minha responsabilidade é muito grande. Não sei se serei mais candidato, mas não posso me afastar agora da luta. O país ficou órfão.

“A cúpula exacerbada do PT já começou a campanha de agressão. Eu não. Tenho sobriedade e modéstia. Acho que o país precisa se renovar.

“O que aconteceu foi uma reação impensada, espécie de histeria coletiva a um conjunto muito grave de fatores que dão razão a uma fração importante dessa maioria que votou no Bolsonaro.

“O lulopetismo virou um caudilhismo corrupto e corruptor que criou uma força antagônica que é a maior força política no Brasil hoje. E o Bolsonaro estava no lugar certo, na hora certa. Só o petismo fanático vai chamar os 60% do povo brasileiro de fascista. Eu não, de forma nenhuma.

“Quem declara o que eu declarei não está neutro. Agora, o que estava dizendo, por uma razão prática, não iria com eles se fossem vitoriosos, já estaria na oposição. Mas estava flagrante que já estava perdida a eleição.

“A gente trai quando dá a palavra e faz o oposto. Quem tiver prestado a atenção no que falei, está muito clara a minha posição de que com o PT eu não iria.

“Não, se eu puder, não quero mais fazer campanha para o PT.

“Eles (PT) podem inventar o que quiserem. Pega um bosta como esse Leonardo Boff (que criticou Ciro por não declarar voto a Haddad). Estou com texto dele aqui. Aí porque não atendo o apelo dele, vai pelo lado inverso. Qual a opinião do Boff sobre o mensalão e petrolão? Ou ele achava que o Lula também não sabia da roubalheira da Petrobras?

“O Lula sabia porque eu disse a ele que, na Transpetro, Sérgio Machado (ex-senador do MDB-CE) estava roubando para Renan Calheiros. O Lula se corrompeu por isso, porque hoje está cercado de bajulador, com todo tipo de condescendências.

(os bajuladores?) “É tudo. Gleisi Hoffmann, Leonardo Boff, Frei Betto. Só a turma dele. Cadê os críticos? Quem disse a ele que não pode fazer o que ele fez? Que não pode fraudar a opinião pública do país, mentindo que era candidato?

“Fomos miseravelmente traídos. Aí, é traição, traição mesmo. Palavra dada e não cumprida, clandestinidade, acertos espúrios, grana (…) Pelo ex-presidente Lula e seus asseclas (…) Projeto de poder miúdo. De poder e de ladroeira. O PT elegeu Bolsonaro.

Ainda Ciro Gomes: “O (Fernando) Haddad é uma boa pessoa, mas ele, jamais, se fosse uma pessoa que tivesse mais fibra, deveria ter aceito esse papelão. Toda segunda ir lá (visitar Lula), rapaz. Quem acha que o povo vai eleger pessoa assim? Lula nunca permitiu nascer ninguém perto dele. E eles empurram para a direita, que é o querem fazer comigo”.

*fonte: uol