Com dois meses de salários atrasados, agentes de trânsito fazem protesto e paralisam atividades em Santa Rita.

transito 002Com o slogan  “O trânsito pede socorro , pague nosso salário”, Cansados de esperar pelos salários a dois meses de atrasos e pela falta de equipamentos de trabalho para desempenho no setor, os agentes de trânsito de Santa Rita cruzam os braços e paralisaram suas atividades nesta terça (31),  protestando na Praça Getúlio Vargas em Santa Rita,  com uma tenda que chamou atenção de todos os populares na cidade enfrente a igreja de Santa Rita de Cássia, que ali passavam e trafegavam com veículos.transito 001

Conforme o agente de trânsito da prefeitura Luzivaldo Silva afirmou que tentou de todas as formas um dialogo desde o sindicato para com a gestão para quitar o débito que completa dois meses e na tentativa de procurar uma solução com um dos secretários do prefeito Netinho conhecido por “Ari” mandou que procurasse a justiça, respondeu em tom de pura perseguição e desrespeitando a população que não investe em mobilidade urbana e a cidade vive um caos.

“O que nos chama atenção é que o ex-prefeito cassado Reginaldo Pereira foi cassado por desrespeitar o PCCR de uma das categorias em Santa Rita, e agora o atual prefeito Netinho comete o mesmo erro, descumprindo a Lei 9.513 vamos procurar mais uma vez a Câmara de Santa Rita que tem aberto as portas não só para o trânsito, más para todas as categorias da prefeitura que sofre com o atraso de salários e abandono da cidade, em maio de 2016 os repasses de FPM chegou a 18,5 milhões os cofres e não tem justificativa para com esses atrasos”, disse.

O agente de trânsito Luzivaldo disse também que o departamento de trânsito é comporto por 30 agentes com uma folha mensal de atinge R$ 60 mil e mês de abril foram repassados quase 14 milhões e maio foi constatado hoje 18, 5 milhões e lamentavelmente estamos sendo perseguido pela atual gestão por cobrar ação da prefeitura em relação á mobilidade urbana, afora os recursos que adentraram no setor que vamos provocar a justiça para receber nossos salários e a gestão se explicar sobre os recursos do setor no Ministério Público Federal, disse o agente Luzivaldo.transito 003“Não vamos retornar as atividades enquanto não efetuar o pagamento de nossos salários, estamos passando necessidades para pagar nossos compromissos, a maioria dos agentes estão se alimentando na residência na casa de parentes, multas e o prefeito não está nem ai, vamos provocar o Ministério Público e as instituições competentes”, frisou.

Lamartine do Vale.