Com imposição e insistência, Corinthians vence Deportivo Lara e abre vantagem na Sul-Americana

Com imposição e insistência, Corinthians vence Deportivo Lara e abre vantagem na Sul-Americana

Foi com autoridade e muito domínio. Nesta quinta-feira (23), o Corinthians recebeu o Deportivo Lara, da Venezuela, em Itaquera, pela segunda fase da Copa Sul-Americana, e, depois de muito martelar, foi convincente e furou a retranca venezuelana para vencer, por 2 a 0, e abrir grande vantagem para o jogo de volta. Com o resultado, o Timão pode perder até por um gol de diferença em terras venezuelanas que garante vaga nas oitavas de final da competição continental.

Timão pressiona A blitz foi corintiana nos primeiros minutos de partida em Itaquera. Logo no primeiro minuto, Clayson teve em seus pés a primeira oportunidade de finalização, mas mandou por cima.

Pouco depois, Danilo Avelar fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Junior Urso, que cabeceou no meio do gol, facilitando a defesa de Salazar. E só dava Corinthians. Em novo cruzamento na área, foi a vez de Pedrinho aparecer e testar bonito para nova defesa do arqueiro visitante. Não parou por aí. O Timão seguiu pressionando e com apenas 15 minutos já havia finalizado quatro vezes, mas a bola teimava em não entrar.

Com o desenrolar da primeira etapa, a equipe de Fábio Carille começou a encontrar dificuldades pra infiltrar na defesa venezuelana, que se entrincheirou na entrada da área e reduziu os espaços dados nos primeiros minutos. O congestionamento na área do Deportivo Lara forçou o Corinthians a arriscar o chute de fora. Aos 27, Pedrinho bateu firme de longe, e Salazar não segurou. No rebote, porém, Vagner Love tentou ficar com a posse e caiu pedindo pênalti. Nada feito. Quando não foi pelo chão, o Alvinegro chegou pelo alto. Junior Urso era o mais acionado.

O volante teve mais duas boas oportunidades. Na primeira, Urso recebeu de Pedrinho, livre, e mandou para fora. Depois, o camisa 30 voltou a ganhar pelo alto, mas testou nas mãos de Salazar. Vitória vem pelo alto Com muitos cruzamentos não aproveitados na primeira etapa, restou a Fábio Carille promover a entrada de Gustagol na volta do intervalo. Ralf deu lugar ao centroavante. Mesmo com a alteração, o panorama da partida continuou o mesmo.

O Timão tinha a bola, mas não conseguia penetrar na defesa do Deportivo Lara. A pressão alvinegra foi ganhando corpo, e as finalização ficavam cada vez mais perigosas. Jadson bateu com desvio e quase enganou Salazar. Já Clayson optou pelo chute colocado, que tirou tinta da trave. O cheiro de gol em Itaquera era cada vez mais forte. De tanto insistir e martelar, o Corinthians mostrou que, apesar de não se aplicar sempre, ainda existe justiça no futebol. E foi pelo alto.

Não podia ser diferente. Fagner recebeu passe de Pedrinho na direita e cruzou para Vagner Love, que desta vez estava na área para subir e testar para o fundo das redes. Na frente do marcador, ficou fácil para o time paulista. Junto da tranquilidade alvinegra, surgiram os espaços. A defesa venezuelana, que teve dificuldade durante todo jogo com a bola aérea, foi ainda mais castigada.

Aos 26, Danilo Avelar acertou mais um grande cruzamento. Desta vez, o contemplado foi Gustavo, o ‘Gustagol’, que fez questão de fazer jus ao apelido e ampliou a vantagem corintiana na Arena. Nos minutos finais, Carille renovou o fôlego de seu meio campo, com as entradas de Sornoza e Régis, a fim de controlar as ações e administrar a vantagem. Foi feito. Os venezuelanos até que tentaram diminuir a diferença, mas o cansaço e a improdutividade do setor criativa frustaram os planos da equipe visitante. Fim de jogo e vitória corintiana.

O Gol