Com inflação próxima de 9%, mercado eleva projeção da taxa de juros

inflação 9 noveCom a inflação em alta, preço dos alimentos e bebidas são os que mais têm subido nos últimos meses(Ricardo Matsukawa/VEJA.com)

Analistas do mercado financeiro voltaram a prever uma deterioração no cenário da economia brasileira neste ano. As projeções feitas por mais de 100 instituições financeiras para a confecção do boletim semanal Focus, divulgado nesta segunda-feira, elevaram as taxas de inflação e juros e apontaram para uma recessão ainda maior no Produto Interno Bruto (PIB) de 2015.

Para conter o avanço da inflação, os analistas aumentaram a projeção da taxa de juros básica (a Selic) para 14,25% – na última semana, ela estava em 14%. Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado para medir a inflação, subiu de 8,79% para 8,97% em uma semana. Trata-se da décima semana consecutiva em que o indicador é ajustado para cima.

Como consequência dos juros e da inflação em patamares elevados, é esperado para o resultado do PIB deste ano uma queda de 1,45%, mais acentuada do que a prevista na semana passada, de 1,35%. É a quinta vez seguida que o dado é ajustado para baixo.

Se essas projeções forem confirmadas, a taxa de inflação atingirá o seu maior nível desde 2003, quando ficou em 9,3%; e o PIB, o desempenho mais baixo desde 1990 – quando teve queda de 4,35%.

Além disso, a inflação estimada fica quase 2,5 pontos acima do teto da meta definida pelo governo, de 6,5%.

 

Veja