Condenado homem que matou desafeto enquanto vítima cortava cabelo

O Tribunal do Júri do Recanto das Emas condenou, nesta quarta-feira (27/3), Jefferson de Queiroz Cavalcante a 24 anos e 6 meses de reclusão em regime inicial fechado pelo homicídio qualificado de Erick Pereira da Silva. Jefferson é acusado de, na presença do irmão, efetuar disparos contra um grupo de quatro homens, no qual estava Erick – a vítima cortava o cabelo no momento em que foi atingida.

O motivo dos disparos, segundo o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), foi uma guerra entre gangues da região do Recanto das Emas. O crime ocorreu em outubro de 2010. O réu já estava preso e, portanto, não poderá recorrer em liberdade.

Ainda de acordo com o MPDFT, no dia seguinte ao crime, Jefferson e o irmão passaram a ameaçar tanto os jovens quanto seus familiares após descobrirem que estavam prestando depoimentos à polícia. Erick foi morto no dia em que estava agendado seu depoimento na delegacia.

Durante o julgamento, os jurados acolheram as três qualificadoras defendidas pelo órgão: emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima (o réu surpreendeu a vítima pelas costas, enquanto ela cortava o cabelo); motivo torpe (o crime foi cometido por guerra entre gangues); e o acusado matou a vítima para ocultar outro crime.

Metrópoles