Confederação Nacional dos Agentes de Saúde reconhece Benjamim Maranhão como o deputado que mais contribuiu para aprovação do piso da categoria - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Confederação Nacional dos Agentes de Saúde reconhece Benjamim Maranhão como o deputado que mais contribuiu para aprovação do piso da categoria

confederação de saúdeO deputado federal Benjamim Maranhão (SD) foi reconhecido pela ConfederaçãoNacional dos Agentes Comunitários de Saúde (CONACS) como o parlamentar que mais trabalhou e contribuiu, efetivamente, para aprovação do Projeto de Lei 7495/2006, que institui o piso nacional para os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias no valor de R$ 1.014.

Segundo a advogada da Confederação, Elaine Alves, o deputado federal Benjamin Maranhão foi fundamental na estruturação do projeto e no acompanhamento das audiências e dos debates, até a conquista da inserção da matéria na pauta de votações, que culminou na aprovação unânime da proposta.

“É preciso registrar a participação do deputado Benjamim Maranhão, ele foi um parlamentar que esteve conosco, desde o início, foi o presidente da comissão que culminou na votação desse projeto e teve um papel fundamental e sem titubear nós dizemos que ele foi um parlamentar que sempre esteve 100% do lado dos agentes de saúde, nós só temos a agradecer pelo seu emprenho”, destacou a advogada da CONACS.

Para o deputado Benjamim Maranhão, o fato de poder ter contribuído para a melhoria salarial do trabalhador é o que lhe satisfaz como parlamentar.

“Estamos com um peso a menos em relação aos compromissos assumidos, pois assumimos esse compromisso que votaríamos ainda nessa legislatura o piso nacional dessa categoria e agora, depois de muita luta, e foram quase três anos de luta já que isso começou ainda quando fui presidente da comissão especial, em que nós aprovamos o projeto primeiro na comissão em 2011, a partir daí tivemos uma luta muito grande de idas e vindas para incluir na pauta da Câmara, e na última semana, enfim, conseguimos aprovar esse projeto que irá fixar um piso nacional para essas duas categorias”, destacou.

O projeto inicial previa um piso de dois salários mínimos, mas, conforme o deputado, diante da negociação e de algumas dificuldades a categoria chegou a um denominador comum, através da participação direta da CONACS de votar o piso no valor de R$ 1.014, havendo já no texto o compromisso de que o reajuste se dará de acordo com o salário mínimo.

“Foi um passo importantíssimo, pois não só se criou o piso, mas também criamos um indexador para permitir que não haja uma perda salarial”, destacou o parlamentar.

De acordo com o deputado, o próximo passo agora é abrir um debate para instituir o piso salarial nas demais categorias da área da saúde, criando uma carreira de estado na saúde.

“O Programa Mais Médicos é um paliativo, a solução é fazer com quem todos os profissionais sejam valorizados, tenham um piso salarial definido, uma motivação, aí sim o problema da saúde no país sofrerá mudanças proativas e eficientes”

PB Agora