Conjuntura une Maranhão e Cássio para retomar Acordão dos anos 1980/2000

Conjuntura une Maranhão e Cássio para retomar Acordão dos anos 1980/2000

CASSIO E ZE´RETORNO POLTICOOs senadores José Maranhão e Cássio Cunha Lima se servem da conjuntura na qual eles têm mesma posição a favor do Impeachment da presidenta Dilma Rousseff para aprofundar o acordo de convivencia entre eles celebrando um Acordão nas eleições para Prefeito de João Pessoa e em outros municipios, como também a candidatura de Maranhão ao governo tendo o empresário Ronaldinho Cunha Lima como vice, ainda abrigando Raimundo Lira na disputa do Senado. Os dois lideres não confirmam, mas não desmentem o que dizem muitos de seus assessores e liderados no Estado.

Esta é a sintese da analise, do Blog de Walter Santos mostrando que assim eles retomam a convivencia quando estavam todos no PMDB nos anos 80 até 2000.

Eis a integra:

Conjuntura leva Maranhão e Cássio a retomar
Aliança histórica do PMDB dos anos 80/2000

A cena política da Paraíba começa a conviver na prática, desde o fatídico processo de abertura do Impeachment da presidenta Dilma Rousseff, com a reconstrução de uma Acordão em face do significado dos atuais projetos liderados pelos senadores José Maranhão e Cássio Cunha visando selar em 2016/2018 a aliança anterior dos 1980 até 2000 quando todos os dois lideres, partidos e liderados estavam juntos no PMDB.

Trinta e seis anos depois, a outrora inimizade mortal entre as famílias Cunha Lima e Targino Maranhão passa a ser superada pelos maiores representantes dos dois núcleos permitindo que, em 2016, o PMDB e PSDB se aliem em João Pessoa em torno da pré-candidatura do deputado federal Manoel Junior, da mesma forma que já celebrem caminhos para apoiar em 2018 chapa ao Governo do Estado liderada pelo senador José Maranhão tendo o empresário Ronaldinho Cunha Lima como candidato a vice.

Para o Senado, fechando o firo, vão estar no mesmo palanque os atuais senadores Cássio Cunha Lima e Raimundo Lira. Guardadas as proporções, lembra a campanha de 1986, onde os candidatos eram Humberto Lucena e Raimundo Lira.

A LÓGICA TRADICIONAL VS NOVOS TEMPOS

Não dá para ignorar a força da junção política entre os dois partidos e lideres. Sem dúvidas nenhuma, passam a ter referência no somatório de forças em todas as regiões e municípios do Estado.

Neste contexto, contudo, a soma na forma posta exclui nomes importantes do processo, como é o caso do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo – este ávido por construir sua reeleição e pensar na possibilidade de candidatura ao governo em 2018.

O esquemão alija também do processo o ex-senador Wilson Santiago, portanto, vai enfrentar turbulências.

PERFIL CONSERVADOR

Pelo nível dos lideres conhecidos, o Acordão reestabelece uma lógica político – ideológico conservadora devendo se contrapor e enfrentar as muitas conquistas trabalhistas e sociais que fizeram o Brasil, em particular a Paraiba, a melhor o nível de sobrevivência das pessoas.

Ainda pelo tom do que reverbera a hipótese de Governo Michel Temer, muitas das conquistas sociais vão estar no alvo e na possibilidade de recuos diante do compromisso do PMDB e do PSDB com a agenda privaticionista.

E isto implica em conviver com conflitos.

CONTRA-PONTO

Todos vão disputar o futuro do Poder no Estado contra o governador Ricardo Coutinho – nos últimos tempos consolidado como único grande Lider de espectro ideológico progressista devendo reunir todo esse campo socialista em torno dele.
WSCOM