Conmebol marca julgamento do caso Sánchez; Santos tenta adiar

Conmebol marca julgamento do caso Sánchez; Santos tenta adiar

Escalação de Sánchez pode dar vitória por 3 a 0 ao Independiente (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

A Conmebol marcou o julgamento do caso Sánchez para segunda-feira, às 15h (de Brasília), na sede da entidade em Luque, no Paraguai. O Santos tenta adiar a votação.

O Peixe quer enfrentar o Independiente terça-feira, às 19h30 (de Brasília), no Pacaembu, sem saber da decisão. Se a Conmebol der razão para os argentinos, o 0 a 0 da ida em Avellaneda será invalidado e o alvinegro precisará reverter um 3 a 0 como punição para avançar às quartas de final da Liberadores da América.

“Pedimos para que o julgamento se realizasse após a partida de terça-feira (28), para que não houvesse influência no psicológico dos jogadores, mas a Conmebol nos enviou o documento de que será na segunda”, disse Mário Bittencourt, advogado do Santos, à FOX.

“Ainda vamos enviar um pedido de adiamento para que seja após a partida, mas teremos que respeitar caso [a data] seja mantida”, emendou.

Santos divulgou uma nota oficial enviada à Conmebol nesta sexta-feira. O Peixe pede isonomia na investigação, já que Zuculini, do River Plate, atuou sete partidas da Libertadores de forma irregular, mas a Conmebol permitiu a atuação e assumiu o erro. O alvinegro se defende com a boa fé por ter confiado no sistema digital da confederação, o Comet.

A única punição admitida pelo alvinegro é não ter Sánchez no jogo de volta, terça, no Pacaembu, por conta do jogo pendente da suspensão de três partidas em 2015. Veja o documento aqui. 

ENTENDA O CASO

A Conmebol emitiu um comunicado na última quarta-feira informando sobre a investigação. Sánchez foi suspenso por três partidas em 2015, pelo River Plate, por ter agredido a um gandula contra o Huracán, em novembro, pela semifinal da Sul-Americana. O uruguaio não disputou outras partidas da Conmebol desde então.

A confederação, em seu centenário em 2016, declarou anistia para metade das suspensões. Arredondando para baixo, Sánchez teria que cumprir um jogo de pena. O Santos, porém, tranquiliza o torcedor e afirma que o COMET, programa da Conmebol para conferência de suspensões, mostrou Sánchez liberado (veja abaixo). 

“Não há risco. A torcida pode ficar tranquila. O Sistema COMET, da Conmebol, informa a baixa no cumprimento de sanções disciplinares ao Carlos Sánchez desde 24 de maio de 2018. É o único sistema oficial e eletrônico da Conmebol”, disse Rodrigo Gama Monteiro, gerente jurídico do Santos, à Gazeta Esportiva. 

A decisão por uma vaga nas quartas de final da Libertadores será na próxima terça-feira, no Pacaembu. Se não for punido, o Santos pode avançar com uma vitória simples. Empate com gols classificaria o Independiente, enquanto um novo 0 a 0 levaria a eliminatória para os pênaltis.

Documento mostra Carlos Sánchez em jogos a cumprir no Comet, da Conmebol

Gazeta Esportiva