Corpo de médico assassinado no Grande Recife segue para a Paraíba - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Corpo de médico assassinado no Grande Recife segue para a Paraíba

Médico achado mortoO corpo do médico Artur Eugênio de Azevedo Pereira, 36 anos, encontrado morto na terça-feira (13), em Jaboatão dos Guararapes, Grande Recife, seguiu para ser enterrado em Campina Grande (PB), cidade natal da vítima, durante a manhã desta quarta (14). O velório aconteceu no Real Hospital Português, no Recife, até as 6h30 e reuniu amigos e familiares do cirurgião torácico.

Durante a manhã desta quarta, a Polícia Civil de Pernambuco informou que o delegado responsável pelo caso, Guilherme Caraciolo, da 1ª Divisão de Homicídios de Jaboatão, ainda não deve ser pronunciar sobre o caso, já que as investigações ainda estão no começo. Na terça, o Disque-Denúncia Pernambuco anunciou que está oferecendo recompensa de R$ 10 mil para quem repassar pista que possa levar aos suspeitos de assassinar o médico Artur de Azevedo.

Quem tiver informações sobre o caso pode ligar para (81) 3421-9595, que atende à Região Metropolitana do Recife e Mata Norte, ou (81) 3719-4545 (interior do estado). Também é possível repassar informações através do site da central, que permite o envio de fotos e vídeos.

Entenda o caso
O corpo do médico Artur Eugênio de Azevedo Pereira, 36 anos foi encontrado às margens da BR-101 Sul, em Jaboatão dos Guararapes, com marca de quatro tiros.

A vítima foi vista pela última vez na noite de segunda (12) ao deixar o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), em Santo Amaro, área central do Recife, onde trabalhava. De acordo com a assessoria de imprensa da unidade, imagens das câmeras de segurança do prédio registraram a saída dele do local por volta das 19h30. Depois desse horário, Artur ligou pra mulher e disse que ia visitar um paciente no Hospital Português. Após a ligação, ele não fez mais contato com amigos ou familiares. O cadáver foi encontrado com quatro marcas de bala: três nas costas e uma na cabeça .

De acordo com a polícia, o carro da vítima foi queimado e abandonado no bairro da Guabiraba, Zona Norte do Recife, nas proximidades do Centro de Treinamento do Náutico.

Artur era paraibano e atuava no HCP, Hospital das Clínicas, Imip e Português. Ele tinha família em Campina Grande e era formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O médico era benquisto e descrito como uma pessoa calma.

 

G1.Globo