Corpo de mulher é encontrado debaixo do sofá do suspeito pelo crime

Corpo de mulher é encontrado debaixo do sofá do suspeito pelo crime

A copeira Dilma Silva Oliveira, 45 anos, desaparecida desde o final de semana passado, moradora do bairro Jardim Saint Moritz, em Taboão da Serra foi assassinada. Seu corpo foi encontrado na quinta-feira (16/8), debaixo do sofá da casa do suspeito de ter cometido o crime, o inspetor de alunos Welinton Santos Borges, conhecido como Tom que confessou o crime. As informações são do jornal O Taboanense.

Ainda na quinta, a polícia prendeu o inspetor de alunos, que estava escondido em um hotel em São Bernardo do Campo.

Dilma trabalhava no Hospital Samaritano em São Paulo. A polícia chegou ao suspeito após análise de um vídeo gravado por uma câmera de segurança próximas à casa da vítima. As imagens, registradas às 4h12 do último sábado (11/8), mostram a copeira caminhando até o ponto de ônibus para ir ao trabalho. Outra câmera da mesma rua, dois minutos depois registrou imagens de Dilma, voltando para casa, abraçada por Tom.

Assista o vídeo divulgado pelo G1:

Na casa dele a polícia encontrou uma bolsa do Hospital Samaritano e, ao levantar o sofá, o corpo embalado com saco plástico e com fita.

A Polícia Civil espera o laudo da Polícia Cientifica para saber se a vítima foi estuprada antes de ser morta. Na casa onde o acusado cometeu o crime, foram encontradas embalagens de camisinhas abertas.

Welinton é acusado de ter cometido dois estupros anteriormente, um deles na região de Embu das Artes, quando ele perseguiu a vítima, a levou para uma casa onde cometeu o atentado contra a mulher. Em abril ele também foi acusado de ter estuprado uma mulher na região do Jd. Arpoador. Ele estava procurado pela polícia desde então.

De acordo com informações da polícia, ele trabalhava como inspetor de alunos na escola estadual Laert Almeida São Bernado, também no Jd. Saint Moritz.

Metrópoles