Corte saudita confirma pena de 10 anos e mil chicotadas a blogueiro que “insultou o Islã”

Raif BadainA Suprema Corte da Arábia Saudita confirmou neste domingo (7) a pena de 10 anos de prisão, 10 anos sem poder sair do país e 1.000 chicotadas, para o blogueiro saudita Raif Badawi, preso por “insulto ao Islã”. A decisão é irrevogável, anunciou a justiça.  Ensaf Haidar, esposa de Raif Badawi, que se exilou no Canadá, disse estar chocada com a decisão da Corte, três meses após ter recebido o recurso para analisar o caso. “Eu esperava que com a chegada do ramadan [jejum muçulmano que começa em 17 de junho] e com o novo rei da Arábia Saudita, os prisioneiros de opinião, entre eles, Raif, seriam agraciados”, declarou em entrevista por telefone à AFP.

Preso em 2012, Raif Badawi foi condenado em novembro de 2014 a 10 anos de prisão e mil chicotadas (cinquenta por semana, durante vinte semanas), por “insulto ao Islã”.

Em 9 de janeiro deste ano, ele sofreu uma primeira sessão de chicotadas, mas as sessões seguintes foram adiadas, primeiramente por motivos de saúde, e depois por razões que não foram divulgadas.

A situação do blogueiro despertou indignação mundial.  Diversos protestos de ativistas foram organizados diante das embaixadas da Arábia Saudita pelo mundo e vários países fizeram represálias. O Alto Comissariado da ONU  para os Direitos Humanos denunciou a sentença de hoje como “cruel e desumana”. Segundo o direito internacional, a flagelação viola a proibição da tortura e de tratamentos cruéis.

O Blog

O crime de Raif Badawi foi criar o blog Liberal Saudi Network , em 2008, em que opinava e debatia livremente questões como política e religião no país. Para o reinado, a iniciativa foi considerada uma blasfêmia.

Em 2012, ele foi encarcerado em Jeddah, segunda maior cidade do país, na costa do Mar Vermelho, depois de criticas feitas aos clérigos sauditas e à polícia religiosa.

Noticiário Internacional