'Covardia de quem não é humano', diz amigo de professor morto na Baixada

‘Covardia de quem não é humano’, diz amigo de professor morto na Baixada

professor mortoRio – A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) segue investigando a morte do professor de educação física Felipe Lavina Machado, de 27 anos. Ele foi rendido na manhã de domingo dentro de casa, em Mesquita, na Baixada Fluminense, e assassinado com um tiro na cabeça. Ele foi sepultado nesta segunda-feira, no Cemitério Jardim de Mesquita, e amigos da vítima, que também era sócio de uma academia no mesmo município, usaram as redes sociais para lamentar o crime brutal.

O empresário e professor Felipe Lavina Machado, de 27 anos, foi sepultado na manhã desta segunda-feira, no Cemitério Jardim de Mesquita

Foto: Reprodução Facebook

“Difícil acreditar, a ficha não cai. Uma covardia enorme de alguém que certamente não é humano. Uma mistura de raiva, tristeza e indignação toma o meu coração. Que Deus conforte os corações de sua família e amigos. Não tenho dúvidas de que você está num lugar muito melhor e em paz pois é isso que você merece irmão, descansar nos braços do Pai”, escreveu.

LEIA MAIS: Professor de educação física é sequestrado e morto a tiros

“Sem palavras para expressar a tristeza de perder um grande amigo. Só quem te conhecia, sabe o quanto você gostava de viver. Um rapaz de bom coração e muito querido por todos. Meu amigo, que Deus possa confortar nossos corações e de seus familiares pois sentiremos muito sua falta. Guardaremos sempre na memória os bons momentos que vivemos ao seu lado irmão”, disse outro amigo de Felipe.

Amigos usaram as redes sociais para desabafar sobre o assassinato de Felipe Lavina Machado

Foto: Reprodução Facebook

O professor estava em casa, no bairro Therezinha, quando foi rendido por três criminosos armados. Ele foi levado em seu próprio carro com a namorada até o bairro K11, em Nova Iguaçu, onde foi executado. A mulher foi liberada no caminho.

No mesmo dia, os policiais encontraram o carro da vítima e suspeita-se que os bandidos tenham levado cerca de R$ 10 mil. Familiares e a namorada de Felipe Lavina prestaram depoimento da delegacia e agentes realizam diligências em busca de testemunhas e imagens de câmeras de segurança da região que ajudem a identificar os autores do crime.

O Dia