CRIME PERFEITO? após mais de oito meses, morte de radialista continua sem resposta

CRIME PERFEITO? após mais de oito meses, morte de radialista continua sem resposta

invanildo vianaUm crime ainda sem resposta: o radialista Ivanildo Viana foi assassinado na tarde do dia 27 de fevereiro, no Km 80 da rodovia federal BR-101, no município de Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa. Até o momento, ninguém foi preso ou sequer indiciado pelo crime.

O radialista foi alvejado com quatro tiros, sendo um na cabeça e três no tórax. A vítima estava conduzindo uma motocicleta quando foi atingido pelos disparos e morreu no local, no entanto, o veículo não foi roubado. O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios.

O delegado Aldrovilli Grisi, do Núcleo de Homicídios da Delegacia Seccional de Santa Rita, ficou responsável pelo inquérito que trata do assassinato do radialista Ivanildo Viana. Inicialmente, durante os primeiros levantamentos do crime, o caso estava com a Delegacia de Homicídios de João Pessoa, mas o inquérito foi remetido ao Núcleo de Homicídios da cidade de Santa Rita.

“Quando o caso aconteceu, a Delegacia de Homicídios de João Pessoa era responsável pelo plantão, então os primeiros procedimentos foram tomados pelo delegado da capital, mas agora o caso ficará a cargo do Núcleo de Homicídios de Santa Rita. Estamos levantando informações, investigando o caso, para que o mais rápido possível consigamos solucionar este assassinato”, disse o delegado Aldrovilli Grisi, que ficará responsável pelas investigações.

Segundo o delegado seccional de Santa Rita, Everaldo Medeiros, as Polícias Civil e Militar estão empenhadas em elucidar o caso e qualquer informação que a população tiver pode entrar em contato por meio do número 197 – Disque Denúncia da Secretaria de Segurança e Defesa Social (Seds).

“É importante que qualquer cidadão que puder ajudar as forças de segurança da Paraíba a elucidar esse crime pode e deve repassar as informações pelo número 197 – Disque Denúncia. O sigilo é absoluto e garantido. A população pode contribuir para a prisão de criminosos, não só desse caso, mas de outros crimes também e o serviço do Disque Denúncia é necessário nessa cooperação entre sociedade e Polícias”, afirmou o Medeiros.

OUTRO CRIME SEM RESPOSTA “Caso Rebeca”

Após a elucidação do caso que ficou conhecido como “a barbárie dos Bancários”, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Governo da Paraíba tem agora pela frente o desafio de desvendar outros crimes, a exemplo do “Caso Rebeca” e o de Ivanildo Viana.

No caso Rebeca, a adolescente foi encontrada morta, com sinais de violência sexual, há cerca de 4 anos. Alguns suspeitos chegaram a ser detidos, mas o material genético comparado com o encontrado na vítima deu negativo e os acusados foram liberados.

Segundo o secretário de Segurança Pública da Paraíba, Cláudio Lima, a polícia já tem condições de elucidar o caso e dar uma resposta à população. Apesar de não dar muitos detalhes, Lima assegura uma investigação avançada.

“Enquanto eu tiver aqui na função de secretário as investigações do caso Rebeca não serão encerradas, eu sei que existem várias criticas, muitos dão palpite, mas nos casos Rebeca e Ivanildo nós temos condições de elucidar e dar a resposta a Paraíba. No caso Rebeca nós temos um delegado trabalhando direto, mas ainda não foi possível uma conclusão. Já no caso Ivanildo as investigações estão adiantadas, e logo daremos a resposta a sociedade”, destacou.

O secretário alertou ainda para o Disk Denúncia e pediu que a sociedade continuasse ajudando a polícia na elucidação dos crimes. “A participação da sociedade tem sido fundamental para a conclusão de alguns casos, por isso pedimos para continuarem colaborando com o trabalho da polícia”, ressaltou.

Redação