Cruzeiro arranca empate com Atlético, no Horto, e conquista Mineiro invicto

Cruzeiro arranca empate com Atlético, no Horto, e conquista Mineiro invicto

O Horto estava alvinegro, mas acabou vendo a festa azul. O Atlético saiu na frente com Elias, mas Fred, de pênalti, empatou para o Cruzeiro, e a Raposa conquistou o Campeonato Mineiro.  12 vitórias (a última na ida da final, no Mineirão) e cinco empates. Essa foi a campanha de um time celeste que faturou o Estadual de forma invicta.

Foi o 39° título mineiro do clube.  Esperança alvinegra O Atlético Mineiro, precisando ir atrás da vitória para ser campeão, foi com uma escalação ofensiva para o jogo. A principal novidade no time era Geuvânio, que se juntou a Chará e Luan na armação das jogadas.  O Galo, então, foi para cima. E o primeiro lance de perigo começou com Geuvânio, que conseguiu mandar bola para Ricardo Oliveira na área.

O atacante completou o passe e acabou acertando a trave. Na sobra, Luan mandou bola perto da trave.  O Cruzeiro se recuperou da pressão inicial e, com bom toque de bola, criou sua primeira chance. Romero abriu bola na canhota para Marquinhos Gabriel, que fez o cruzamento. Igor Rabello tentou cortar e quase marcou contra: a bola foi no poste.

O ataque atleticano esfriou e ficou um tempo sem incomodar. Mas, aos 29, Chará conseguiu vencer a defesa rival com um drible e um toque. Ricardo Oliveira parou em Fábio, mas Elias, na sobra, tocou de cabeça e Léo não conseguiu evitar o gol.  O gol animou o Horto, e o time alvinegro. Geuvânio tentou o segundo em chute de canhota no cantinho Fábio se esticou toda para desviar e evitar o gol.

Festa azul Se no primeiro tempo a pressão maior foi do Atlético, na segunda etapa o Cruzeiro voltou em busca do empate. Pedro Rocha foi o primeiro a entrar. Sem conseguir o empate, Mano Menezes chamou Thiago Neves. Muito bem postada, a defesa atleticana conseguiu evitar a pressão celeste. O tempo passava e o 1 a 0, que favorecia ao Galo, permanecia no marcador.

Aos 31, Pedro Rocha desequilibrou em jogada pessoal. O ponta deixou dois marcadores pelo caminho e, quando ia tirando de Leonardo Silva, a bola pegou no braço do zagueiro, que estava protegendo a queda. O árbitro analisou no vídeo e acabou marcando pênalti. Na cobrança, Fred empatou.

A batata quente foi para o outro lado, e era, de novo, o Atlético quem precisava marcar. O Galo foi com tudo para o ataque nos minutos finais, mas esbarrou no ônibus celeste, e o Horto viu a festa azul.

O Gol