Cueva não jogará mais no Santos em 2019; futuro de Sampaoli em aberto

O superintendente de futebol do Santos, Paulo Autuori, concedeu mais uma entrevista nesta quarta-feira para tratar de temas polêmicos. Os futuros de Christian Cueva e Jorge Sampaoli foram colocados em dúvida na Vila Belmiro, e até mesmo o de Autuori.  O dirigente disse frases como “os incomodados que se mudem” para reafirmar a insatisfação quanto ao planejamento feito pelo clube para a temporada.

“Desapontado”, Autuori teve de comentar sobre mais uma falta de Cueva em um treinamento. O peruano não joga mais no Peixe neste ano, e dificilmente jogará em 2020.  “Cueva está com vários problemas, todos sabem disso. Agravou-se mais em função da situação que ocorreu. Ele não compareceu no treino deste sábado, dos não relacionados. A gente ainda não decidiu.

Há ideia de que apareça alguma coisa para que o clube possa pensar. Ainda há possibilidade de fazer algo a ele para o próximo ano. Ele não joga mais no Santos neste ano. Para isso acontecer, tem de ter outra parte que queira isso. A ideia é fazer algo para ele fora do Santos no ano que vem”, confirmou Autuori.  Cueva foi inicialmente emprestado pelo Krasnodar, da Rússia, até o fim do ano.

Mas há uma cláusula de compra obrigatória e o Santos terá de pagar cerca de R$ 30 milhões pelo jogador a partir de 2020. Investimento pesado para um atleta que não trouxe, e nem deve trazer, retorno em campo (ou mesmo fora).  Sequência de Sampaoli  Outro tema tratado na coletiva foi a continuidade do técnico Jorge Sampaoli no clube para a próxima temporada.

Autuori garante que ainda não houve uma definição, e nem a manifestação de interesse no sentido de permanência ou saída.  “Não há nenhuma definição. Não há esse ‘eu não quero ficar’ ou ‘eu quero ficar’. Não há uma definição clara por parte do clube e por parte do treinador”, garantiu o superintendente.

Autuori não garantiu nem a própria permanência no clube para a próxima temporada. A única certeza é que, segundo o próprio dirigente, 2020 vai ser um ano complicado na Vila. ” Eu não vendo ilusão. Ano que vem teremos dificuldades”, finalizou.

O Gol