João Pessoa 15/02/2019

Início » Notícias » CVM acusa Dilma por supostas irregularidades em construção de refinaria

CVM acusa Dilma por supostas irregularidades em construção de refinaria

Outros 16 nomes estão no inquérito Entre eles, o ex-ministro Mantega

Brasília – A presidenta afastada, Dilma Rousseff, faz sua defesa durante sessão de julgamento do impeachment no Senado (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A ex-presidente Dilma Rousseff durante julgamento do impeachment no Senado, em 2016Marcelo Camargo/Agência Brasil – 29.ago.2016

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários), responsável por regular o mercado de ações do Brasil, acusou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e mais 16 ex-conselheiros e ex-administradores da Petrobras por supostas irregularidades na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

A acusação é desta 6ª feira (21.dez.2018).

Além de Dilma, antiga conselheira da empresa, são acusados:

  • o ex-diretor financeiro Almir Barbassa;
  • o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega;
  • os ex-presidentes da Petrobras José Sérgio Gabrielli e Maria das Graças Foster;
  • o ex-presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) Luciano Coutinho;
  • os ex-administradores da Petrobras Guilherme Estrella, Ilso Sauer, Jorge Zelada, Nestor Cerveró, Paulo Roberto Costa e Renato Duque;
  • os ex-conselheiros da Petrobras Fábio Barbosa, Francisco Roberto de Albuquerque, Jorge Gerdau, Sérgio Quintella e Silas Rondeau.

A acusação deriva de inquérito iniciado pela área técnica da CVM em 2016. A Abreu e Lima é 1 dos principais alvos de investigação da Lava Jato. A Petrobras já reconheceu perdas na casa de R$ 1,5 bilhão por causa da construção da refinaria.

O site da CVM não dá mais detalhes sobre a acusação. Só afirma se tratar de “possível inobservância de deveres fiduciários de administradores” da estatal.

Poder360