Declaração de presidente Ivonete Ludgério sobre débito previdenciário gera desentendimento na CMCG

Uma declaração da presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereadora Ivonete Ludgério (PSD), sobre uma suposta herança previdenciária herdada dos seus antecessores,  ameaçou abalar parte da bancada governista na Casa de Félix Araújo.

Ivonete disse que os seus antecessores – vereadores Nelson Gomes Filho (PSDB) e Pimentel Filho (PSD) – deixaram para a sua gestão um déficit previdenciário da ordem de R$ 1 milhão, fato que está impedindo que a atual mesa diretora faça investimentos no poder legislativo.

– Tive que colocar em dia para não prejudicar o andamento das contas da prefeitura. Isso significa (dívida da previdência) basicamente um mês de duodécimo (repasse mensal que é feito ao Legislativo). Não é fácil – ressaltou.

O ex-presidente da Câmara campinense, Nelson Gomes Filho, rebateu, as insinuações de que teria deixado a Presidência da Casa, no começo de 2015, com débitos de natureza previdenciária.

“Não fiquei devendo 1 real sequer ao Ipsem ou ao INSS. A documentação está à disposição de quem quiser”, afirmou Nelson.

PB Agora