Delegacia diz ter provas concretas de fraudes em concursos públicos por organização criminosa

A Delegacia de Defraudações e Falsificações da Paraíba já tem provas concretas de atuação de membros de uma suposta organização criminosa especializada em fraudar concursos públicos. Um dos líderes da organização Flávio Borges, acusado de fraudar o concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco, foi flagrado enviando mensagens através do Whatsapp para outro suspeito, também daquele estado, ainda em liberdade.

Em sua 4ª fase, a Operação Gabarito já conseguiu analisar mais de 15.000 arquivos digitais de suspeitos da organização criminosa.

A operação já identificou, por exemplo, mais de 100 concursos fraudados pela organização criminosa. As diligências atuais permitiram identificar 40 membros da organização criminosa, que atuam em diversos estados do Brasil e mais de 200 candidatos beneficiados pelo esquema.

A Polícia Civil da Paraíba informa está adotando todas as medidas cabíveis para a exclusão dos beneficiados em todos os concursos identificados e para a prisão dos membros da organização que continuam em liberdade.

Em Pernambuco, os candidatos foram às ruas pedir a anulação do concurso do TJPE

Confira os prints de conversas entre Flávio Borges e outro membro da organização. Fraudes nos concursos do TJPE / TREPE / UFBA. Destaque para a confiança na impunidade – “dessa vez é praticamente impossível dá (sic) errado”

Denúncias feitas por candidatos – TJPE – contra o membro da organização – Thiago Leão.

Thiago Leão, acusado de de um dos líderes da organização criminosa foi aprovado no concurso do TJPE