Depois de morte de subcomandante, UPP na Vila Cruzeiro tem PMs armados com fuzis em frente à unidade atacada a tiros - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Depois de morte de subcomandante, UPP na Vila Cruzeiro tem PMs armados com fuzis em frente à unidade atacada a tiros

policiais armados rioCerca de 12 horas depois do ataque que deixou morto o subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, a comunidade amanheceu com um reforço de policiamento que conta com policiais armados com fuzis. Na manhã desta sexta-feira, um grupo de PMs está nas proximidades do contêiner que é a sede da UPP do Parque Proletário, também na Vila Cruzeiro. A unidade foi atacada a tiros na noite desta sexta, pouco antes de Leidilson Acácio Alves ter sido atingido durante uma patrulha.

 

Policiais revistam um motociclista
Policiais revistam um motociclista Foto: Guilherme Pinto / Extra

 

Em vários pontos da comunidade, policiais fazem rondas a pé. Eles revistam veículos e fazem abordagens a motoristas e motociclistas.

 

Um PM aponta uma arma para a carroceria de um caminhão
Um PM aponta uma arma para a carroceria de um caminhão Foto: Guilherme Pinto / Extra

 

O subcomandante da UPP da Vila Cruzeiro, Leidson Acácio Alves, levou um tiro na testa quando estava em patrulhamento na Rua 10, no Parque Proletário, por volta das 22h30m desta quinta-feira. Segundo informações de policiais da equipe dele, cerca de 20 bandidos fizeram o ataque. Pouco depois, ainda de acordo com os PMs, a base a UPP Parque Proletário, também na Vila Cruzeiro, foi atacada a tiros.

 

Crianças observam o PM armado
Crianças observam o PM armado Foto: Guilherme Pinto / Extra

 

Ferido, o subcomandante da UPP ainda foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, Zona Norte do Rio. Pouco depois, os colegas de farda dele receberam a notícia da morte. O clima foi de comoção entre os PMs que estavam no local.

Enterro

O enterro de Leidson está marcado para as 15h30m desta sexta-feira, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. O velório será na capela C. A liberação do corpo do Instituto Médico-Legal (IML) será feita pela viúva do policial, Jaqueline Oliveira.

 

Jaqueline e Leidilson, num momento de lazer, em julho de 2013
Jaqueline e Leidilson, num momento de lazer, em julho de 2013 Foto: Facebook / Reprodução

 

Mais cedo, ela deixou uma mensagem emocionada em seu perfil no Facebook, lembrando o primeiro encontro com o marido: “Encontrei ternura e amor”.Subcomandante Acácio, morto na Vila Cruzeiro

Subcomandante Acácio, morto na Vila Cruzeiro

 

Operação na madrugada

Em nota, a assessoria de imprensa das UPPs informou que houve, também, uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) durante a madrugada, na Vila Cruzeiro. Segundo o comunicado, foi feita uma “varredura” na comunidade. Não há notícias de prisões. Leia a íntegra da nota:

“Por volta das 20h40 da noite de ontem (13/3), tiros foram disparados na direção do container que serve como base da UPP Vila Cruzeiro na Rua José Rucas. Durante a ação ninguém se feriu. Os policiais fizeram buscas na região e o patrulhamento foi intensificado em todo o Complexo da Penha à procura dos criminosos. Por volta das 22h40, policiais da UPP Vila Cruzeiro patrulhavam a Rua 10, divisa entre as comunidades do Parque Proletário e Vila Cruzeiro, quando tiros foram disparados na direção dos agentes. Os militares revidaram e durante o confronto o subcomandante da unidade, tenente Leidson Acácio Alves Silva, de 27 anos, foi atingido por um disparo na cabeça. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital Getúlio Vargas e não resistiu ao ferimento. O Batalhão de Operações Especiais (BOPE) foi acionado e esteve na comunidade fazendo ações de varredura durante toda a madrugada. O policiamento está reforçado em todo o Complexo da Penha com efetivo de diversas UPPs. O tenente Acácio estava na corporação há pouco mais de 3 anos e estava na UPP Vila Cruzeiro há cerca de 3 meses.”

Já adicionou o Whatsapp do Jornal EXTRA? Veja como é fácil

Basta fazer o download gratuito do aplicativo e adicionar o número 21 99644 1263. Aí é só enviar uma mensagem com seu nome e sobrenome, bairro e cidade onde mora, e a data de nascimento. Você pode enviar denúncias, informações, fotos, vídeos e áudios.
ExtraOnline