João Pessoa 10/12/2018

Início » Política » Deputado do PT, advogado de Lula, propôs fechar o STF em abril de 2018, veja o vídeo

Deputado do PT, advogado de Lula, propôs fechar o STF em abril de 2018, veja o vídeo

Vídeo de Wadih Damous está no Facebook - Também propõe fim de mandatos vitalícios - Damous ataca o ministro Roberto Barroso -‘Tem de fechar o Supremo Tribunal Federal’

O deputado Wadih Damous, que propõe fechar o STFreprodução/Facebook

Voltou a circular nas redes sociais 1 vídeo gravado e publicado em abril de 2018 pelo deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), que foi presidente da OAB fluminense e atua também como advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No vídeo de 1 minuto e 56 segundos na sua página no Facebook, Damous fala de maneira explícita: “Tem de fechar o Supremo Tribunal Federal”.

O deputado reclama do ministro do STF Roberto Barroso, que em julgamentos recentes foi contra as posições da defesa de Lula. O vídeo é de 13 de abril de 2018, quando os advogados lulistas tentavam novo recurso para tirar o petista da cadeia –onde cumpre pena após condenação em 2º Instância pela Lava Jato.

Aliados do candidato a presidente Jair Bolsonaro ajudam a divulgar o vídeo de Wadih Damous argumentando que quanto o deputado propôs fechar o STF a mídia não deu o destaque que agora é visto a respeito de uma declaração de Eduardo Bolsonaro –que em julho de 2018 também falou em fechar o Supremo.

A proposta do petista é explícita e apresentada de maneira pró-ativa, pois o deputado foi à internet e detalhou sua intenção para o fechamento do Supremo.

Além de sugerir que STF seja fechado, Damous fala que outra Corte deve ser criada e que os 11 ministros não poderiam mais ter mandatos vitalícios –até a idade de 75 anos. Sugere, sem estipular prazo de duração, mandatos mais curtos.

Eis o vídeo:

Eis a transcrição do trecho em que Damous fala sobre fechar o STF:

“Nós temos de redesenhar o Poder Judiciário e o papel do Supremo Tribunal Federal. Tem de fechar o Supremo Tribunal Federal. Nós temos de criar uma Corte Constitucional de guarda exclusiva da Constituição e os seus membros detentores de mandato. Nós temos de evitar que gente como [o ministro] Roberto Barroso tenha o poder de ditar os rumos do processo eleitoral, de ditar os rumos da escolha popular, de ditar os rumos da democracia brasileira. Não foi para isso que essa turma foi colocada lá. Eu tenho alertado lá na Câmara dos Deputados: ou nós enquadramos essa turma ou essa turma vai enterrar de vez a democracia brasileira”.

Wadih Damous tentou se reeleger deputado federal neste ano de 2018. Teve 31.160 votos (0,40% dos válidos) e ficou em 63º lugar, não conseguindo renovar seu mandato –o Estado do Rio de Janeiro tem 46 cadeiras na Câmara.

Poder360