Deputado usa 'fake news' para acusar Sérgio Moro, em discurso na ALPB

Deputado usa ‘fake news’ para acusar Sérgio Moro, em discurso na ALPB

“Eu sempre vi na cara de Sérgio Moro uma pessoa doente. Mas eu não achava que a doença dele permitisse chegar a tanto escárnio”, disse Jeová Campos, na ALPB (Foto: Walla Santos/ClickPB/Arquivo)

O deputado estadual Jeová Campos (PSB) está sendo apontado por usar uma notícia falsa (fake news) para discutir o vazamento de conversas entre o ex-juiz e ministro Sérgio Moro e o procurador da Operação Lava Jato, Deltan Dallgnol. Ele discursou na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) sobre o assunto, nesta terça-feira (11), e usou o telão para exibir os diálogos.

“Tenho que trazer a esse debate, e peço à técnica para poder colocar no telão, o material que eu gostaria de, sobre ele, fazer esse diálogo. Eu não posso imaginar que exista, nesse país, a possibilidade de um conluio entre um juiz e os procuradores para corromper um processo e produzir um resultado injusto. O conluio praticado, palavras de Sérgio Moro: “Não consigo julgar esta semana, mas garanto que vai ter tempo para evitar a candidatura.” Aí diz (Deltan) Dallagnol: “A inconsistência nas provas vai fragilizar a condenação. Precisamos acelerar, pois as ligações não provam atos ilícitos do réu.” Aí Sérgio Moro na mesma fala: “Aqui no TRF4 tem quatro amigos que vão adiantar os trabalhos. Toda a sentença já está combinada.” Aí diz Dallagnol: “Se precisar, avisa que faremos outra apresentação (em Power Point) para fortalecer a opinião pública.” Aí diz Moro: “Nosso problema é outro. O Haddad vai ganhar força. Vocês não conseguem algo para impedir a candidatura de Haddad?”, disse Jeová Campos, no plenário da ALPB.

Ele completou a indignação, dizendo que sempre achou Sérgio Moro um homem doente. “Gente, veja que crime tão profundo. Acharam pouco em fazer um conluio, corromperam o processo. Eu sempre vi na cara de Sérgio Moro uma pessoa doente. Mas eu não achava que a doença dele permitisse chegar a tanto escárnio. Como alguém se presta a um ‘papelão’ desses?”

Desde o fim de semana, ‘prints’ das conversas entre Moro e Dallagnol foram divulgados pelo site The Intercept Brasil. Os diálogos ocorreram no aplicativo Telegram, opção alternativa ao WhatsApp em relação a troca de mensagens por celular. Contudo, muitos ‘prints’ falsos estão sendo divulgados, misturando-se às conversas originais, realmente ocorridas.

ClickPB