Deputados trocam farpas por conta de visita de ministro da Integração a PB para liberar recursos

ministro briga aguaO deputado estadual, Jeová Campos (PSB), que também é presidente da Frente Parlamentar da Água na Assembleia Legislativa, acusou na Tribuna da Casa nesta terça-feira (3), a deputada Daniella Ribeiro (PP) de tentar boicotar a frente ao tentar impedir que a comissão presida a sessão com participação do ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi.

De acordo com Campos, a comissão esteve em Brasília e se comprometeu a receber o ministro no dia 12 próximo. “O que acontece é que a deputada Daniella que não participou de nenhuma reunião, nenhuma audiência pública, nenhum ato da frente parlamentar foi por trás querendo agora se acionar do trabalho desta Casa”, reclamou apontando que o trabalho da frente naõ depende dele, enquanto presidente, nem pertence a nenhum deputado, mas sim ao povo.

De acordo com o deputado, a frente parlamentar foi construida para andar pela Paraíba afora, buscar soluções e estabelecer uma pauta, a mobilização, pressão política necessária para conseguir os recursos que a Paraíba precisa e obras estruturantes para enfrentar o problema.

“Agora se estabelece disputa política sem sentido, só porque o PP é dono do ministério da integração? Acho que não, o Ministério pertence a República e não a partido. Solicitamos que nossa audiência pública fosse no Espaço Cultural e quem presidisse fosse a Frente Parlamentar. Não adianta agora porque a deputada é irmã do Ministro das Cidades, que continua ministro, agora da Integração, então mande o dinheiro para a Paraíba. Precisamos de R$ 80 milhões e mandam apenas R$ 18 milhões, venha para cá no dia 12”, comentou.

O deputado ainda criticou que não se deve fazer política desse “nipe”, e acusou a deputada de tentar “passar rasteira em quem está preocupado com o desenvolvimento da Paraíba”. O socialista ainda convidou a deputada para somar e criticou: “sair de fininho tirando o quórum da casa como fez é sinceramente virar as costas para o problema da dor e do sofrimento do povo da Paraíba”, concluiu.

Daniella Ribeiro por sua vez, acusou o Jeová de minimizar o debate e querer impor uma decisão sua em uma audiência de autoria dela. “Em nenhum momento, o deputado me procurou para propor a mudança do local da sessão. Agora se colocar contra a vinda de um ministro é lamentável, uma postura mesquinha”.

A deputado disse ainda que não há problema na questão da presidência da sessão. “O que importa sinceramente não é quem trouxe o ministro ou quem vai presidir a sessão, é resolver o problema, é isso que a sociedade espera de seus representantes”.

Para Daniela, a postura de Jeová Campos foi autoritária e pequena.

Marília Domingues / Marcos Wéric