João Pessoa 23/03/2019

Início » Destaque » Desfile do Galo da Madrugada reverencia as mulheres; veja fotos

Desfile do Galo da Madrugada reverencia as mulheres; veja fotos

Previsão é que a festa do maior bloco de rua do mundo se estenda até a noite, com mais de dois milhões de pessoas

Homenageando as mulheres e colocando-as como protagonistas da festa, o Galo da Madrugada arrasta milhares de pessoas pelas ruas do centro do Recife neste sábado de Zé Pereira (2). A chuva que caiu durante o início do dia não atrapalhou os planos dos foliões, mas fez com que muitos chegassem ao desfile um pouco mais tarde.

No entanto a chuva não foi capaz de esfriar a 42ª edição do maior bloco de rua do mundo. Pelo contrário, mesmo após o meio-dia, o público seguia muito animado, esbanjando alegria e criatividade. Com tranquilidade, muitas mulheres, crianças e idosos caem na dança ao som do frevo.

Este ano, inspirado no tema “Frevo Mulher”, o Galo reverencia a garra e a altivez feminina com alegorias que retratam algumas personalidades que desfilam como destaques: Amelinha (cantora e compositora), Fabiana Karla (atriz), Lia de Itamaracá (dançarina, cantora e compositora), Yane Marques (pentatleta) e Léa Lucas (foliã).

Nos trios, a reverência à figura feminina era latente. Houve vários duetos de cantoras, entre eles, Gaby Amarantos e Fafá de Belém e Karynna Spinelli e Isabella Tavianni, Nena Queiroga e Margareth Menezes.

O secretário de Turismo de Pernambuco, Rodrigo Novaes, ressaltou a importância do bloco para o turismo de Pernambuco. “O Galo é o que marca o início do Carnaval de Pernambuco, e a gente tem certeza que é uma grande festa. E, através da festa, festa que é um símbolo, que é um marco que atrai muitos turistas para as ruas do Recife. É uma satisfação poder receber os turistas que acabam gastando em nosso Estado, gastando na cidade e gera oportunidade, gera renda. É um ciclo virtuoso do Carnaval”, disse ele, em entrevista durante o Café da manhã do Forte das Cinco Pontas, área central do Recife.

Novaes destacou, ainda, o esquema de segurança montado para a festa. “O Galo mais uma vez sai às ruas com muita alegria, a alegria de sempre, organizado, o Governo do Estado fazendo a sua parte, estruturando o evento. São mais de 4500 policias na rua, entre policiais civis, bombeiros e policiais militares”, complementou.

O casal Dária Tenório e Filipe Kaynagua, de Maceió (AL), veio pela quinta vez ao desfile. “É fora de série. A gente se descola para cá por isso”, comentou Kaynagua. Já o carioca Roberto Jefferson veio ao Recife para prestigiar o Galo pela primeira vez. “Já ouvi falar muito (do bloco), queria muito vir. Estou gostando muito e com certeza vou voltar”, garantiu.

Galo term seis alegorias e 24 trios elétricos, nos quais se apresentamo artistas locais como Almir Rouche, André Rio e Nena Queiroga, e também nomes nacionais, a exemplo de Ela Ramalho, Fafá de Belém, Tony Garrido e Gaby Amarantos. São seis quilômetros de percurso, sob o embalo eletrizante dos ritmos carnavalescos pernambucanos. O Gigante do Carnaval ocupa ruas centrais e históricas da capital pernambucana, com concentração maior de público nos bairros de São José e Santo Antônio, e segue até 18h30. Estima-se que o público se mantenha acima dos dois milhões.

Ordem do cortejo:

– Alegoria especial

– Clarins e trombetas, anunciando a chegada do Galo da Madrugada;

– Carro abre-alas, com passistas de frevo e o tradicional Galo tendo como inspiração a alegria de Léa Lucas, uma das foliãs mais icônicas do Carnaval do Recife;

– Alegoria “Frevo Mulher”, que carrega o tema do Carnaval 2019 e todas as referências da canção de Zé Ramalho, tendo como inspiração a cantora e compositora Amelinha, com ícones como a dama do paço e a Mulher do Dia;

– Alegoria “Pernambucana de Raça”, ilustrando a história de garra e resistência de Yane Marques e trazendo referência das corredoras da Grécia Antiga;

– Alegoria “Ciranda de Lia”, narrando a história de Lia de Itamaracá com elementos como jangadas, coqueiros e a tradicional ciranda;

– Alegoria “Oh, Bela”, encerrando o desfile com a inspiração na canção “Oh, Bela”, de Capiba, fazendo referência à irreverência de Fabiana Karla.

Majestoso
Na Ponte Duarte Coelho, a escultura gigante do Galo observou o desfile. Neste ano, ele é chamado de “Galo artesão” e metade dele foi construído com restos de materiais utilizados no polo de confecções do Agreste pernambucano. A escultura tem 28 metros e pesa cinco toneladas.

Folha de Pernambuco