João Pessoa 19/09/2018 02:18Hs

Início » Destaque » Novo diretor da PF quer Eugênio Ricas à frente do combate à corrupção

Novo diretor da PF quer Eugênio Ricas à frente do combate à corrupção

Novo diretor da Polícia Federal, delegado Fernando Segóvia, deseja ter o secretário em diretoria responsável pelas grandes operações de combate à corrupção, entre elas a Lava Jato

O secretário de Controle e Transparência do governo do Estado, Eugênio Ricas, deve assumir um dos cargos do comando da Polícia Federal, agora dirigida pelo novo diretor, delegado Fernando Segóvia.

De acordo com o jornal O Globo, Ricas, deve ficar encarregado pela diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado, hoje ocupada por Maurício Leite Valeixo. A diretoria é responsável pelas grandes operações de combate à corrupção, entre elas a Lava Jato. Caberia a ele o planejamento e controle da atividade de investigação criminal praticada por organizações criminosas e contra a ordem política.

Eugênio Ricas é delegado federal e em 2012 foi o único brasileiro, dentre mais de 260 chefes de polícia de todo o mundo, a cursar a sessão número 251 da National Academy do FBI, em Quantico, Virgínia, nos Estados Unidos, onde pós-graduou-se com nota máxima em disciplinas como Inteligência e Contra-Inteligência, Terrorismo e Contra-Terrorismo e Técnicas de Interrogatório e Entrevistas.

Ele ocupa o alto escalão do governo do Espírito Santo desde 2013, e também já ocupou a Secretaria de Justiça. O secretário foi procurado para comentar sobre o convite, mas não atendeu a reportagem.

Além da possível troca de Valeixo por Ricas, Segóvia decidiu trocar todo o comando da instituição. Segundo um interlocutor do diretor-geral, o delegado Sandro Avelar deverá ser o vice-diretor, o segundo cargo mais importante na hierarquia da polícia. Ex-presidente da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), Avelar foi secretário de Segurança na gestão do ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT).

Na manhã desta quinta-feira (9), ele chegou a participar de uma reunião com Segóvia e o ex-diretor Leandro Daiello. Segóvia também teria escolhido o delegado Cláudio Gomes, ex- corregedor-geral, para comandar a diretoria de Inteligência.

REESTRUTURAÇÃO

Um dia depois de nomeado pelo presidente Michel Temer (PMDB), o novo diretor da Polícia Federal começou a montar a equipe às pressas. Assim que sua indicação foi anunciada, Segóvia se reuniu com Daiello e o vice-diretor Rogério Galloro para iniciar imediatamente a transição. Eles fizeram uma teleconferência com os 27 superintendentes para, em tom amistoso, anunciarem as mudanças.

O novo diretor teria tentado demonstrar que a troca de comando não implicará em ruptura com a gestão de Daiello, que estava no cargo desde 2011. Na noite anterior, logo depois de receber o convite formal de Temer para chefiar a PF, Segóvia tratou de se reunir como dirigentes da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) e de outras entidades sindicais da polícia. (

Com informações de O Globo)