João Pessoa 19/09/2018 08:50Hs

Início » Destaque » Vital fala de planos para o TCU e se emociona ao falar do pai em discurso que iniciou Sabatina no Senado

Vital fala de planos para o TCU e se emociona ao falar do pai em discurso que iniciou Sabatina no Senado

vital sabatinadoO senador Vital do Rego Filho (PMDB) falou emocionado ao finalizar seu discurso antes da sabatina no Senado na manhã desta terça (2). Ao lembrar que seu pai, o deputado federal Vital do Rego: ‘O destino me fez estar aqui’.

 

Vital destacou que o Tribunal de Contas da União (TCU), do qual pleteia uma cadeira, tem se tornado um instrumento de aperfeiçoamento da gestão pública. Ele apontou que o Brasil é um país continental e que os gestores constituídos nos mais diversos lugares, muitos desasistidos tecnicamente são submetidos a mesma rigidez normativa dos grandes municípios capazes de compor uma equipe técnica, além disso ele falou também da linguagem dos relatórios que é de difícil assimilação pela população.

 

Vital ressaltou a necessidade de o Brasil estabelecer um pacto pela governança e o controle externo tem que ser o viabilizador desse pacto. “Vi no relatório de atividades que o TCU concluiu em 2013 ações de controle prévio que evitou prejuízo de R$ 20 bilhões em 2011, R$ 12 bilhões em 2012 e R$ 14 bilhões em 2013. É uma estratégia de sucesso e deve ser aperfeiçoada permanentemente pelo tribunal. Caso seja escolhido serei permanentemente escravo dos princípios que regem a Constituição Federal e exercício da magistratura, sem deixar o aperfeiçoamento das políticas públicas no país”, diz.

 

O senador citou o conterrâneo Marcos Vilaça: “O TCU tem que priorizar a realização de biopsias para melhorar a saúde da administração pública em vez e necrópsias”, conta destacando a tradução da linguagem médica para a gestão.

 

Vital também lembrou que é autor da pec 28 que cira o Conselho Nacional de Tribunais de Contas, inspirada nos moldes ‘de sucesso’ do Conselho Nacional de Justiça e Conselho Nacional do Ministério Público de forma a estabelecer também nos Tribunais de Contas essa forma de controle sobre seus atos.

 

“Submeto aos meus pares o meu nome e coloco-me as vossas inteiras disposições para perguntas”, iniciou o encerramento de seu discurso, porém antes de dar a vez aos senadores, Vital fez uma ‘última saudação’: “Minha imagem primeira na manhã do dia de hoje a um homem, não presente fisicamente, mas que tinha como sonho de vida encerrar sua extraordinária carreira política no Tribunal de Contas da União, chegou a apresentar o nome a Câmara dos Deputados… O destino me fez estar aqui no lugar, não substituindo, no seu leito de morte eu dizia que ele seria o primeiro e único. Quero saudar meu pai Vital do Rego”, afirmou com a voz embargada e logo abafada pelos aplausos dos colegas.