Dos 11 ministros do STF, sete são católicos, incluindo o presidente

Dos 11 ministros do STF, sete são católicos, incluindo o presidente

Na última sexta-feira (31), Jair Bolsonaro sugeriu o país deveria ter um ministro evangélico

Dos 11 ministros que compõem o Supremo Tribunal Federal (STF), sete são adeptos da religião católica, incluindo o atual presidente, Dias Toffoli, e sua antecessora no comando da Corte, Cármen Lúcia.

Segundo levantamento do jornal “O Estado de S. Paulo” apurou, além de Cármen e Toffoli, são católicos os ministros Edson Fachin, Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes. Já os ministros Luís Roberto Barroso e Luiz Fux são judeus, e Celso de Mello e Rosa Weber não informaram as suas religiões.

Na última sexta-feira (31), o presidente Jair Bolsonaro sugeriu o país deveria ter um ministro do STF evangélico. A declaração foi feita durante um ato na Assembleia de Deus Ministério Madureira em Goiânia (GO).

“Se me permitem plagiar a ministra Damares [Alves], eu também sou terrivelmente cristão. Então, com todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, eu pergunto: existe algum, entre os 11 ministros do Supremo, evangélico? Cristão assumido? Não me venha a imprensa dizer que eu quero misturar a Justiça com religião. Todos nós temos uma religião ou não temos. E respeitamos, um tem que respeitar o outro. Será que não está na hora de termos um ministro no Supremo Tribunal Federal evangélico?”, disse.

*Com Estadão Conteúdo