Douglas Lucena abandona eleição do PPS e Bandeira ganha por W.O

O vice-prefeito de João Pessoa, Nonato Bandeira, foi eleito no início da tarde desta sexta-feira (8), presidente estadual do PPS. A vitória de Bandeira veio logo após o único adversário, Douglas Lucena, prefeito de Bananeiras, abandonar a eleição e também anunciar saída da legenda.

Douglas alegou que aconteceu manobra  para beneficiar  Bandeira com a aprovação de uma resolução de última hora diminuindo a participação de vários diretórios e integrantes da legenda no Estado. Com isso, como tem a maioria na Capital, Nonato já levaria muita vantagem no embate.

“É um congresso municipal. Está sendo realizado apenas por João Pessoa. 98% dos filiados da Paraíba não vão ter direito a voto. O congresso já era uma sub representação do que o PPS representa no Estado, um partido com três prefeitos, uma deputada, nove vice-prefeitos e 75 vereadores. De prefeito apenas eu iria participar, a deputada Gilma Germano, seis vice- prefeitos e menos de trinta vereadores”, argumentou Douglas ao sair em disparada  do Hotel Hardmann, onde o evento estava sendo realizado.

Douglas Lucena afirmou que diante dessa situação, ele não tem mais condições de permanecer no PPS.

“Não tenha dúvida alguma que, diante desse ato de força, eu não tenho condições de ficar em um partido que não me respeita. Que não respeita os filiados e os delegados. Eu sou de um município importante, fui vereador pelo PPS, fui vice-prefeito pelo PPS, prefeito pelo PPS mas o que a nacional fez foi uma intervenção branca”, disparou.

Por outro lado, Nonato disse que venceu a democracia do partido e lamentou a saída de Douglas. O vice-prefeito também agradeceu aos companheiros pela vitória e afirmou que agora é hora de engrandecer a legenda.

“Lamentar a retirada da outra chapa. Cada um tem os seus motivos. Acho que venceu a legalidade. A gente teve uma perseverança para conduzir o partido até agora. A gente agradece a todos os companheiros e quero dizer que esse fase passou e é o trabalho de reconstruir o partido.

Sobre as críticas do opositor de que o congresso teria acontecido com uma sub representação, Nonato respondeu que sub representação aconteceu no partido nos últimos tempos.

“Esse congresso, realmente, é reflexo do descaso, da desmobilização e da subserviência que o partido passou tanto tempo atrelado ao PSB. Perdeu quadros, não fizeram nenhuma filiação, diretórios, comissão provisória, não trouxeram lideranças. Só nós existimos no partido. De fato, mesmo sendo contra eles tem razão. o Congresso poderia ter sido muito mais partido”, afirmou Nonato garantindo que tudo foi feito na legalidade e com a comprovação da direção nacional. Para Nonato, os adversário saíram ao disputar ao sentirem a aproximação da derrota.

Roberto Targino 

com informações de Écliton Monteiro