Duas explosões matam ao menos 30 na capital turca.

Duas explosões matam ao menos 30 na capital turca.

vinte mortos turquiaPessoas caminham entre corpos após ataque em Ancara – ADEM ALTAN / AFP

ANCARA — Duas explosões atingiram manifestantes que participavam de um protesto pela paz e pela democracia na capital turca, Ancara, matando pelo menos 30 pessoas neste sábado, informou o Ministério do Interior. Outras 126 ficaram feridas. O presidente da Turquia condenou os ataques como “atos terroristas”.
Veja Também

Rússia afirma que invasão do espaço aéreo foi “erro de navegação” e questão foi solucionada com Ancara Turquia convoca embaixador russo para explicar invasão aérea
Kenes fala diante de multidão antes de ser presoTurquia prende editor-chefe de jornal por críticas a Erdogan

As explosões ocorreram perto da principal estação de trem de Ancara, no Centro da cidade, enquanto manifestantes se reuniam para uma marcha organizada por grupos de esquerda e sindicatos.
O partido pró-curdo HDP estava entre os participantes da mobilização. Autoridades do governo dizem que os ataques foram atos de terrorismo e estão investigando relatos de que um homem-bomba estava por trás de pelo menos uma das explosões.

— Suspeitamos que há uma ligação com terrorismo — disse uma fonte do governo sob condição de anonimato.

Em um vídeo postado nas redes sociais, é possível ver um grupo de jovens de mãos dadas e cantando, antes da primeira explosão. Imagens de TV mostram cenas de pânico e pessoas deitadas no chão cobertas de sangue.

O ataque ocorre a três semanas das eleições legislativas, que foram antecipadas para 1º de novembro. O clima político está abalado pelos confrontos diários entre as forças turcas e os rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no sudeste de maioria curda. Em outra frente de operações contra o terrorismo, a Turquia lançou ataques contra extremistas do Estado Islâmico (EI) na Síria.

— Ouvimos uma explosão forte e outra pequena. Houve um grande movimento de pânico, e então vimos cadáveres no pátio da estação — disse à agência AFP Ahmet Onen, um aposentado de 52 anos.

Duas horas após as explosões, as forças de segurança dispararam para o ar para dispersar os manifestantes, revoltados com a morte de seus companheiros nas explosões, e que gritavam “policiais assassinos”, segundo a AFP. Irritados, vários manifestantes atacaram carros da polícia.

Um protesto do HDP na cidade de Diyarbakir foi bombardeado em junho, antes das eleições em que o partido entrou no Parlamento pela primeira vez.

Em julho, um ataque suicida por supostos militantes do Estado Islâmico em um encontro de jovens ativistas na cidade de Suruc, na fronteira síria, matou pelo menos 30 pessoas.

Logo depois, um cessar-fogo entre o grupo militante curdo do PKK e o governo da Turquia foi rompido, com ataques regulares de ambos os lados desde então. E Ancara deu início à ofensiva contra o EI.

O Globo