Em almoço com aliados e sem Doria, Alckmin articula projeto ao Planalto

O Governador Geraldo Alckmin junto ao Prefeito João Dória, participam de reunião com os Secretários Municipais e Estaduais. DATA: 10/04/2017. LOCAL: São Paulo/SP. FOTO: Diogo Moreira

O prefeito de SP, João Doria, e o governador paulista, Geraldo Alckmin

Geraldo Alckmin deve ser candidato a presidente em 2018. O prefeito João Doria deve concorrer a governador de São Paulo. Essa foi a síntese de 1 importante almoço na 2ª feira (16.out.2017) no Palácio dos Bandeirantes, organizado pelo governador paulista para receber políticos de diversos matizes ideológicos. O prefeito da capital paulista não foi convidado.

CONVIDADOS

Estiveram no almoço no Bandeirantes os deputados Benito Gama (PTB-BA), Danilo Forte (PSB-CE), Heráclito Fortes (PSB-PI) e Rubens Bueno (PPS-PR), o tucano mineiro Pimenta da Veiga, os ex-ministros Gustavo Krause, José Jorge e Jorge Bornhausen e o ex-deputado federal Paulo Bornhausen.

Geraldo Alckmin pediu a seu braço-direito e chefe da Casa Civil, Samuel Moreira, que organizasse o encontro, ligando para cada 1 dos convidados.

JORGE BORNHAUSEN ABRIU ENCONTRO

Aos 80 anos e com a experiência de ter participado de diversos governos durante a ditadura militar e na volta do Brasil à democracia, o ex-senador Jorge Bornhausen fez uma alentada análise de conjuntura no início do almoço.

Disse que Michel Temer faz 1 bom governo do ponto de vista econômico, mas que é muito difícil que isso seja sentido pela população em 2018 –porque ainda há uma lembrança forte do crescimento do país em anos recentes e por causa da popularidade do PT e de Lula entre os eleitores de renda mais baixa, sobretudo os do Nordeste.

Alckmin ouviu tudo com atenção. Quando ouviu que seu nome estava se consolidando para o Planalto –e que Doria estaria bem posicionado se lançando a governador em 2018–, o governador reagiu com uma de suas frases citando sua cidade natal, Pindamonhangaba. Afirmou que desde cedo aprendeu que “no curso do caminho os que são de ‘de bem’ se juntam”.

O PODER360 ANALISA

O almoço no Bandeirantes demonstra que a disputa entre Alckmin e Doria pela vaga de candidato a presidente pelo PSDB se dá entre 1 político profissional e 1 neófito na arte dos conchavos. A lista de participantes indica que o governador paulista está à frente quando se trata de combinar o jogo com o establishment.

Poder360 acha que dificilmente o prefeito paulistano consegue reverter esse jogo. A dúvida que fica é se Doria permanece no PSDB e aceita ser candidato a governador ou parte para outra legenda e se mantém na corrida pelo Planalto.

Poder 360