Em jogo de muito VAR, polêmicas e quatro gols, Palmeiras e Bahia empatam no Allianz Parque

Em jogo de muito VAR, polêmicas e quatro gols, Palmeiras e Bahia empatam no Allianz Parque

Com muito VAR, expulsões e polêmicas, o Palmeiras não conseguiu passar de um empate em 2 a 2 contra o Bahia, no Allianz Parque, na tarde deste domingo.  O Verdão, com 29 pontos, fica a três do líder do Campeonato Brasileiro, Santos. Já o Tricolor soma 20 e está no meio da tabela, em décimo lugar.

Palmeiras abre vantagem, mas Felipe Melo começa polêmicas O Bahia não foi modesto no Allianz Parque: marcou alto e deixou Nino Paraíba com liberdade para descer ao ataque na direita. Tanto que Vitor Hugo, que fazia sua reestreia, tinha trabalho por ali.  Mas a outra novidade do time de Felipão, Luiz Adriano, também aparecia bem no ataque.

Os laterais palmeirenses buscavam o novo 9 de posição, que vestia a 10. E de um desses cruzamentos saiu o gol: Moisés cortou errado, mandando para o gol, e Douglas tentou evitar a entrada da bola. Dudu, porém, pegou a sobra e mandou para dentro.  O Tricolor recuou com o gol e passou a ser completamente envolvido pelo ataque palmeirense.

Um erro, porém, quase recolocou os baianos no jogo. Élber roubou bola de Bruno Henrique e partiu em velocidade para o ataque. O toque, na frente, foi para Gilberto, que tirou de Wéverton, mas viu Luan evitar que a bola entrasse.  O lance voltou a animar os visitantes, que passaram novamente a aparecer com frequência no ataque. Élber era o mais ativo e, de fora da área, tentou empatar, mas Wèverton defendeu.

Mais aberto, o jogo ficou animado, e, em descida em velocidade pela direita, Marcos Rocha enfiou bola para Luiz Adriano, que bateu bonito. Douglas, no alto, fez uma defesaça.  O pior do primeiro tempo foi um lance já aos 49. Felipe Melo subiu para dividir com Lucca e, com o braço, acertou o rosto do jogador tricolor.

Depois de muita briga, o volante deixou o campo expulso.  Muito VAR, gols e empate Vendo o rival com um a menos, Roger mandou o Bahia para o segundo tempo com Arthur Caíke. Não demorou muito para a mudança surtir efeito.  Logo aos três minutos, Moisés cruzou da canhota, Arthur Caíke desviou de cabeça e a bola pegou no braço, aberto, de Diogo Barbosa: pênalti.

Na cobrança, Gilberto empatou.  Mesmo com um a menos, o Verdão respondeu rápido para voltar a ter vantagem. Marcos Rocha cobrou lateral na área e Dudu tentou primeiro de cabeça, mas só marcou no rebote, com a perna direita. Outro gol de Dudu…  O Bahia teve de correr de novo atrás do resultado, só que mostrou pouca criatividade para tal. Contou, então, com novo pênalti para se recuperar:

Arthur Caíke dividiu bola com Luan na área e, olhando no vídeo, o apitador apontou a marca da cal. Lá foi Gilberto empatar mais uma vez.  Igualado no placar, o jogo ficou igual também em homens em campo: Gregore acabou expulso aos 42 minutos.

A pressão final foi toda palmeirense, e os longos dez minutos de acréscimos tiveram muitas polêmicas, mas nenhum gol. Os baianos voltam para casa com um ponto.

O Gol