Em noite de VAR e muita polêmica, Fla marca no fim e elimina Flu na semifinal da Taça Rio

VAR, expulsão e muita polêmica. Assim foi o clássico entre Fluminense e Flamengo, pelas semifinais da Taça Rio, que foi decidido no último minuto. Fla saiu na frente, Flu empatou, mas o Rubro-Negro, mesmo com um a menos durante toda a segunda etapa, marcou nos acréscimos com Éverton Ribeiro, em cobrança de pênalti: 2 a 1 para os flamenguistas.

Com o resultado, os comandados de Abel Braga conquistam a vaga na final do segundo turno do Campeonato Carioca, e aguardam o vencedor entre Bangu e Vasco, que se enfrentam no Maracanã, nesta quinta-feira. VAR com polêmica, bola na rede e expulsão O FlaxFlu começou a mil por hora no Maracanã. Logo no primeiro minuto, Luciano recebeu próximo à área rubro-negra e foi derrubado. Na cobrança, Ganso cruzou, a bola ficou viva e sobrou para Léo Santos, que mandou para o fundo das redes.

O assistente, porém, levantou a bandeira e apontou uma irregularidade no início da jogada. O árbitro da partida solicitou a presença do VAR e, após cinco minutos de paralisação, assinalou falta de Matheus Ferraz em Rodrigo Caio e anulou o tento tricolor, gerando muita reclamação dos comandados de Fernando Diniz. Lance polêmico.  A resposta do Fla veio pouco tempo depois. Uribe recebeu um presente da defesa do Flu, invadiu a área, mas acabou finalizando fraco, facilitando a defesa do goleiro Rodolfo.

Após início frenético, o clássico ganhou em tensão e apareceram faltas duras de ambos os lados.  Até que, aos 29, Vitinho recebeu pela esquerda e, mesmo sem ângulo, mandou para o gol. Rodolfo deu rebote, Bruno Henrique aproveitou, fez a parede e rolou para Renê. O lateral-esquerdo chegou batendo forte, no cantinho, sem chances para o arqueiro tricolor. Flamengo na frente. O nervosismo seguiu imperando no Maraca, principalmente do lado da equipe das Laranjeiras. Por outro lado, o Rubro-Negro quase chegou ao segundo gol.

Após cobrança de escanteio de Vitinho, Bruno Henrique subiu bonito e desviou de cabeça, obrigando Rodolfo a voar para fazer a defesa. O camisa 39 do Flu voltou a aparecer pouco depois, após finalização de Uribe, e evitou uma vantagem maior para o adversário. A temperatura do confronto chegou ao seu ápice aos 50 minutos, quando Bruno Henrique, de maneira totalmente imprudente, levantou demais a perna e acertou em cheio o lateral-direito Gilberto.

O árbitro, sem titubear, apresentou o cartão vermelho direto para o atacante flamenguista. Mais VAR, confusão e gol nos acréscimos Como era de se esperar, o Fluminense, com um jogador a mais na segunda etapa, foi para cima com todas as suas armas. A pressão surtiu efeito. Aos 11, Everaldo fez jogada individual pela esquerda, dividiu com Rodrigo Caio e caiu na área. No momento, a arbitragem mandou seguir, mas, pouco depois, o VAR entrou em ação novamente. Pênalti marcado e mais polêmica. Passados alguns minutos, o colombiano Yony González foi para a cobrança e deslocou Diego Alves, empatando o jogo e devolvendo a classificação momentâneamente, como prevê o regulamento, para o Fluminense.

Que noite! Mesmo em desvantagem numérica, o Rubro-Negro se lançou ao ataque para voltar à liderança do marcador. O técnico Abel Braga, no objetivo de aumentar a ofensividade de sua equipe, mandou a campo o jovem Lucas Silva e o uruguaio Arrascaeta, nos lugares de Vitinho e Ronaldo. Aos 26, o menino Lucas fez boa jogada individual pela esquerda e bateu firme.

A bola quicou antes de chegar até Rodolfo, que rebateu do jeito que deu. Com o Fla todo no ataque, sobrava espaço para os contra-ataques do Fluminense, que até tentava, mas faltava capricho no último passe. Quando o Flu acertou o pé, a virada não saiu por muito pouco. Gilberto avançou livre pela direita e cruzou, na medida, para Yony González. O colombiano testou firme, bola explodiu no travessão de Diego Alves e não entrou.

O Tricolor não aproveitou as chances e acabou sofrendo um duro castigo. Já nos acréscimos, Léo Santos chegou atrasado, derrubou Lucas Silva na área e o árbitro marcou pênalti. Mais um episódio para um clássico para lá de quente. Na cobrança, Éverton Ribeiro bateu com categoria e deu a vaga na final da Taça Rio para o Flamengo.

O Gol