Rio de Janeiro mergulhou subitamente em uma escuridão noturna

Em novo erro de continuidade, escurece de repente em ‘Império’

reginaldo e ze alfredoImpério se sai melhor que as suas antecessoras no horário das nove da Globo — especialmente Salve Jorge — no quesito de erros técnicos. Mas de vez em quando a produção dá uma derrapada feia, que chega a constranger quem assiste à trama. Foi o que aconteceu no último capítulo do folhetim, exibido na noite de sábado, em que o Rio de Janeiro mergulhou subitamente em uma escuridão noturna. Anoiteceu em questão de minutos, enquanto João Lucas (Daniel Rocha) e Du (Josie Pessoa) seguiam do restaurante Vicente, onde encontraram os funcionários almoçando, para o prédio da ninfeta Maria Isis (Marina Ruy Barbosa). Foi quase poético. Só que não.

Na cozinha do Vicente, Isis saboreava e elogiava um escondidinho do chef, quando o maître Antonio (Lucci Ferreira) entrou para dizer que alguém procurava por ela. “Tem alguém aí querendo falar com você”, disse. “Mas é urgente? Será que não espera o almoço?”, respondeu a amante do Comendador José Alfredo (Alexandre Nero), antes de saber que se tratava do enteado. João Lucas tentaria, na sequência, extrair da lolita a confirmação de que o seu pai está vivo. Como não conseguiu, decidiu dar um pulo até o prédio dela, onde, durante a conversa com Isis, concluiu que o pai deveria estar escondido.

O diálogo da ninfeta com o maître, como se pode vê, deu a entender que o restaurante sequer havia começado a servir o almoço, o que pode acontecer por volta das 12h. Mas, mesmo na hipótese de que os funcionários estivessem comendo depois de o restaurante ter encerrado — e não antes de iniciar — o seu horário de almoço, não daria tempo de anoitecer no trajeto entre o Vicente e o edificio onde estava o Comendador, que Lucas e Du queriam encontrar. Um restaurante costuma receber clientes para almoçar até as 15h. Ainda que a refeição dos funcionários tenha acontecido por volta das 17h, depois de fechada a última conta e organizado minimamente o local, seria preciso que Isis morasse na Baixada Fluminense, houvesse trânsito no caminho e que o Rio não estivesse em pleno horário de verão.

Do dia para a noite

A noite cai enquanto Du e Lucas vão de carro do restaurante Vicente ao prédio de Maria Isis. Ainda que eles tenham saído do restaurante tarde — os funcionários estavam almoçando, o que só pode ser feito depois de o estabelecimento fechar para os clientes, depois das 15h, e as coisas estarem minimamente em ordem –, em tempos de horário de verão, só se Isis morasse na Baixada Fluminense e o trânsito estivesse intenso, o que não era o caso, para a viagem demorar tanto.

Silviano

A culpa sempre é do mordomo. Onipresente, a par de todos os segredos e dramas da família, com acesso a tudo e a todos, acompanhando de perto o fausto dos patrões e se corroendo de inveja… O mordomo tem muitas razões para arquitetar um plano para se apossar dos bens daquele que lhe paga o salário. Silviano, para piorar, tem uma motivação pessoal — e passional. Primeiro marido de Maria Marta, por quem ainda nutre um forte sentimento, ele pode tanto ter armado um plano para levar a amada a enfim ceder o divórcio a José Alfredo, já que falido ele se tornaria desinteressante para ela, como ter planejado, com ela, uma forma de depenar o Comendador.

Veja