Emerson Sheik pode ser denunciado pelo STJD por ofensas ao árbitro de Vasco x Flamengo.

Emerson gesticula na eleimanaçãoEmerson gesticula na eliminação rubro-negra para o Vasco na Copa do Brasil – Alexandre Cassiano / Agência O Globo

Emerson Sheik entrou novamente na mira do STJD por conta de recados mandados às câmeras. O atacante do Flamengo pode ser denunciado por criticar o árbitro Wilton Pereira Sampaio ao final do primeiro tempo do clássico entre Vasco e Flamengo, na noite de quarta, que classificou o clube de São Januário às quartas de final da Copa do Brasil.

ATENÇÃO: Oswaldo de Oliveira cobra ‘atitude’ para evitar gols em jogadas aéreas

A Procuradoria do STJD solicitou as imagens do momento em que Emerson xinga o árbitro da partida. Ao ser abordado por uma equipe de reportagem sobre o que precisava melhorar no segundo tempo, o atacante do Flamengo dispara: “Primeiro tem que arrumar esse juiz, que é uma merda. É uma merda!”.

PREOCUPAÇÃO: Machucados, Guerrero e Ederson passam por exames nesta quinta

Sheik pode ser denunciado com base no artigo 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: “ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto”. O atacante pode levar de uma a seis partidas de suspensão, além de multa entre R$ 100 e R$ 100 mil. A Procuradoria do STJD também pretende analisar a súmula da partida e outras infrações ao longo do jogo.
No Botafogo, em 2014, Sheik não gostou de ser expulso e disse que a CBF era uma “vergonha”: atacante foi punido pelo STJD – Marcos Tristão / Agência O Globo
Em 2014, no Botafogo, Sheik se envolveu em polêmica semelhante. Ao ser expulso em uma partida contra o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro, o atacante saiu de campo irritado e procurou uma câmera para desabafar contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF): “A CBF é uma vergonha. Vergonha. Vergonha!”.

Antes, quando ainda estava em campo, Emerson já havia chamado a CBF de “vergonha” para uma câmera, o que é percebido em leitura labial. Na ocasião, Sheik foi punido por um jogo pelas ofensas à CBF, além de quatro jogos de suspensão por xingamentos ao árbitro daquela partida.
O Globo