Empresas de ônibus de JP pedem que Semob reavalie tarifas: ‘já estamos trabalhando com defasagem’

mário tourinhoO Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa (Sintur-JP) protocolou, nesta sexta-feira (08), na Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), pedido de reavaliação da tarifa dos ônibus desta capital. De acordo com o diretor institucional do SINTUR-JP, Mário Tourinho, no documento protocolado na Semob consta que desde a reunião de 1º de dezembro do ano passado, do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana, o setor empresarial apresentou uma lista de sugestões e de preocupações relativas ao transporte coletivo e que entre elas estava a questão da indispensabilidade do equilíbrio econômico-financeiro para a prestação desse serviço.

“O que pedimos – e insistimos nesse pedido – é que a própria Semob, através de sua equipe técnica, realize esse estudo e o apresente ao Conselho de Mobilidade Urbana para, conforme o respectivo resultado, depois o encaminhe para a apreciação do chefe do executivo municipal”, disse o diretor do Sintur-JP, lembrando que no documento entregue a Semob não foi feita a anexação de planilha indicativa do preço da tarifa.

Ainda de acordo com Mário Tourinho, o setor empresarial conta com sua planilha e respectivo resultado tarifário, mas não lhe cabe divulgar. “A planilha oficial e que todas as vezes é a apreciada no Conselho de Mobilidade Urbana é a da Semob e não a das empresas. Se a planilha da Semob apresentar diferenças significativas da elaborada pelo setor empresarial, aí, sim, oportunamente, fazermos nossos questionamentos”, destaca o representante do Sintur-JP.

Ao declarar que a tarifa atual está defasada desde sua origem, Mário Tourinho justificou que na planilha apreciada anteriormente o preço da passagem aprovado pelo Conselho Municipal de Mobilidade Urbana foi de R$ 2,76 e não R$ 2,70. “Portanto, desde o início da atual tarifa já estamos trabalhando com uma defasagem de seis centavos (R$ 0,06)”, declara Mário.

Para o diretor do Sintur-JP, a situação econômica do país, com sua crise e inflação elevada, atingiu em cheio principalmente o setor de transporte coletivo a partir da elevação nos preços de um dos insumos básicos desta atividade, que é o combustível. “Somente nestes últimos 40 dias, o óleo diesel subiu R$ 0,26 por litro, logo, para um setor que consome 1,6 milhão de litros por mês, só ai está um adicional de custo de mais de R$ 400 mil reais”, enfatiza Mário.

Tarifas de outras cidades

Diante da insistência quanto ao por que o SINTUR-JP não informar qual a tarifa que entende necessária para a prestação do serviço de transporte coletivo aqui em João Pessoa, Mário Tourinho sugeriu que se observassem as tarifas de outras cidades de porte similar e até menores que João Pessoa. “Nem cabe que apontemos uma Salvador que está com o preço de R$ 3,30. Mas, lá em Aracaju, cidade bem similar à capital paraibana, desde dezembro que a tarifa está em R$ 3,10. E no interior de Pernambuco, a cidade de Petrolina já vem praticando tarifa de R$ 3,20, mesmo valor que está aprovado pelo Conselho de Mobilidade Urbana de Maceió, aguardando a homologação do prefeito de lá. E atentemos que em várias cidades há isenção de ICMS do combustível do transporte coletivo e também do ISS das Prefeituras, o que não ocorre aqui”, finalizou o diretor do Sintur-JP.

Assessoria