Empresas paraibanas movimentaram mais de R$ 6,6 bilhões em notas fiscais

Empresas paraibanas movimentaram mais de R$ 6,6 bilhões em notas fiscais


Foto: Divulgação

As emissões de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), um dos indicadores que aponta a intensidade da atividade econômica no Estado da Paraíba, expandiram 11,99% no mês de setembro.  Em números absolutos, as emissões atingiram 2,345 milhões de NF-e, contra 2,093 milhões no mesmo mês do ano passado, segundo dados do Núcleo de Análise e Planejamento de Documentos Fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-PB).

As empresas movimentaram em notas fiscais um total de R$ 6,663 bilhões em setembro no Estado. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, as emissões atingiram 20,582 milhões, alta de 11,17%. Concentradas em indústrias, distribuidores e grandes varejistas, a emissão da NF-e é um dos termômetros para aferir a atividade econômica do Estado.

Julho registou maior volume da série histórica – A média mensal de janeiro a setembro deste ano de emissão de NF-e ficou em 2,284 milhões, contra 2,057 milhões no mesmo período do ano passado. O mês de julho deste ano com 2,422 milhões de emissões de NF-e continua sendo o maior pico não apenas do ano, mas de toda a série histórica. A emissão de NF-e na Paraíba teve início em fevereiro de 2008.

O Documento Auxiliar da Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (DANFE), que é um comprovante emitido nas máquinas do comércio varejista, traz de forma resumida as informações da NFC-e, além de conter a chave de acesso e o QR Code para que o consumidor consiga acessar a nota fiscal do seu dispositivo móvel com internet.

Emissões de nota de consumidor crescem 5,43% – Já as emissões de Nota Fiscal Eletrônica ao Consumidor (NFC-e), oriundas dos estabelecimentos comerciais, cresceram 5,43% em setembro quando comparado ao mesmo mês do ano passado. Em números absolutos, as lojas de comércio emitiram 26,339 milhões em setembro, contra 24,982 milhões. No acumulado de nove meses deste ano, o volume cresceu 6,52% sobre o ano passado (239,285 milhões em nove meses deste ano ante 224,635 milhões do ano passado).

Assessoria