Equipamentos de tomografia e ressonância aguardam há dois anos por instalação no HU

hospital univertHospital Universitário Lauro Wanderley 
Vários equipamentos de imagem para a realização de exames aguardam a finalização da reforma do Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, para poderem ser utilizados pelos pacientes. Os equipamentos para a realização de tomografias, mamografias e ressonâncias permanecem, há meses, parados aguardando a instalação.

Em contato com o setor de radiologia do Hospital, a reportagem foi informada que os serviços de marcação e realização de exames para “tomografia, mamografia e ressonância por enquanto estão todos suspensos”. De acordo com a atendente, os pacientes precisam procurar outras instituições que realizem o exame para poder fazer o agendamento. Ela disse ainda acreditar que os exames no HU só voltarão a ser marcados por volta do final do mês de março.

Os equipamentos já estão no hospital, mas não foram instalados devido à reforma física do local, que ainda não foi concluída. De acordo com o superintendente do hospital, Arnaldo Correia de Medeiros, a reforma da parte física do HU já se estende há dois anos.

Ainda conforme o superintendente, o hospital “está em processo de reforma e instalação” e os equipamentos de imagem “nunca foram instalados”. De acordo com Arnaldo Medeiros, os equipamentos de imagem que estão funcionando atualmente são os de Raio X e ultrassom.

Estão para ser instalados no Hospital, depois da conclusão da reforma, os aparelhos de Raio X telecomandado, mamógrafo, ressonância magnética e tomógrafo de 64 canais, segundo informou o superintendente Arnaldo Medeiros.

A reportagem consultou o Conselho Regional de Medicina (CRM) sobre as condições do hospital. Segundo o diretor de fiscalização, João Alberto Pessoa, a estrutura do HU já vem há algum tempo se deteriorando por problemas financeiros. “A tomografia já faz anos, não é de agora não. Eles tinham, há muitos anos, um tomógrafo que foi desativado e, inclusive, as cotas que eles tinham foram retiradas do HU na época”, disse. “Sabemos que as condições do HU não são boas, ele não está bem, está funcionando com muita dificuldade, de manutenção predial, manutenção de equipamentos”, relatou.

Mas apesar do CRM ter conhecimento  da precariedade do HU, o conselho não aplica maior rigidez, segundo o diretor de fiscalização, porque a população necessita do hospital, em virtude da carência de unidades hospitalares.

O Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba, é administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).