Ernesto Araújo reafirma em texto que nazismo e fascismo são de esquerda

O ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) em audiência na Comissão de Relações Exteriores da Câmara

O ministro da Relações Exteriores, Ernesto Araújo, publicou na manhã de hoje 1 texto em seu blog pessoal “Metapolitica 17” no qual defende, mais uma vez, que o nazismo e o fascismo eram movimentos de esquerda e não de direita.

“A esquerda fica apavorada cada vez que ressurge o debate sobre a possibilidade de classificar o nazismo como movimento de esquerda. Dá a impressão de que existe aí um perigoso segredo de família, cuidadosamente guardado”, escreveu o chanceler no artigo “Pela aliança liberal-conservadora”, que tem como foco a defesa da união entre as pessoas com essa linha ideológica.

O ministro já havia feito afirmações na mesma linha antes. A mais recente foi em entrevista no canal “Brasil Paralelo, divulgado na 5ª feira (28.mar) no YouTube.

“É uma coisa que eu falo muito e é uma tendência de esquerda. Ela pega uma coisa boa, sequestra e perverte, transforma em uma coisa ruim. Acho que é mais ou menos o que aconteceu sempre com esses regimes totalitários. Por isso que eu digo também que fascismo e nazismo são fenômenos de esquerda, não é?”, disse Araújo na entrevista.

Em texto de 2017, ele escreveu que nazismo e fascismo foram correntes socialistas que sequestraram o nacionalismo “para seus fins malévolos”. O artigo repercutiu durante a campanha eleitoral do ano passado, quando o diplomata fazia campanha para Bolsonaro.

Em entrevista ao jornal O Globo em setembro, o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, criticou a opinião de Araújo. “É uma besteira argumenta que o fascismo o nazismo são movimentos de esquerda”, disse.

Poder360