Especialistas comentam caso de arara criada por mulher em Jaboatão - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Especialistas comentam caso de arara criada por mulher em Jaboatão

ARARAO Nordeste Viver e Preservar deste sábado (7) mostra a história polêmica da arara cananindé Billy, que foi criada como um animal de estimação em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. O animal estava com a família há mais de dez anos quando foi apreendido pelos órgãos responsáveis. A história comoveu muitas pessoas e Billy acabou voltando para a dona através de uma decisão liminar da Justiça.

O programa buscou escutar especialistas e técnicos para analisar a situação, já que criar animais silvestres em cativeiro é contra a lei. Billy havia passado dois meses e meio no Ibama, onde convivia com outra arara da mesma espécie. Apesar de todo o carinho da dona, a alimentação da ave era inadequada e ela apresentava dificuldades para voar, segundo especialistas.

O segundo bloco do Viver e Preservar traz uma reportagem sobre a Serra Branca, no Sertão da Bahia, onde duas espécies raras de aves estão conseguindo se reproduzir. O lugar cercado por imensos paredões protege as araras-azuis de lear, que só existem no Nordeste do país, e os urubus-reis. A área conta com ajuda de guardiões da natureza, que estão conseguindo proteger os animais dos caçadores.

A reportagem de Francisco José mostra o trabalho de Otávio Farias, proprietário das terras da Serra Branca, que criou fronteiras para impedir os caçadores de se aproximar das áreas de reprodução das araras. A Serra Branca, atualmente, se tornou uma fundação de defesa do meio ambiente onde é proíbido caçar e é talvez o local com a maior colônia de urubus-reis do  Nordeste.

380 graus PE