Especialistas dão as dicas para ter sucesso no mercado de aplicativos - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Especialistas dão as dicas para ter sucesso no mercado de aplicativos

computadorQual a melhor forma de se lançar no mercado de aplicativos? E o que faz anônimos acumularem fortunas de uma hora para outra, trabalhando pouco e praticamente só usando o celular? No livro Império dos apps, o autor Chad Mureta busca mostrar tais segredos, baseando-se na ideia central de que, mais importante do que desenvolver, é preciso planejamento para lançar o software, obtendo vantagens competitivas sobre os outros desenvolvedores. E que é ainda importante terceirizar quase tudo e fazer parcerias para que os lucros possam ser triplicados.

São muitas as dicas e as ferramentas úteis reveladas pelo autor para quem pretende entrar no mundo novo e, ainda por muitos desconhecido, dos apps. É notável a capacidade de vendedor de Chad Mureta, da maneira de pensar e agir para vender mais e ganhar na mesma proporção, principalmente por meio da isca dos aplicativos gratuitos, via propagandas deles mesmos ou pela venda de publicidade dentro deles.

Uma das impressões é que o espírito de marqueteiro que levou o autor a ser um grande sucesso na internet também o impulsiona com o livro. A ideia que Chad Mureta passa é que, se ele conseguiu, o leitor igualmente poderá conseguir, mostrando os passos a seguir e dando conselhos de persistir e gastar pouco, mas de forma bem sábia, nesse novo universo comercial.

Perguntas para Chad Mureta, autor do livro Império dos Apps

Qual é o perfil dos membros da empresa e, geralmente, quanto gastam no desenvolvimento de um aplicativo?

Temos um grupo extremamente diversificado de empreendedores de apps em nossa empresa, a App Empire. Pessoas do mundo todo estão conectadas por meio do nosso grupo de desenvolvedores. São cinco membros brasileiros, e eles estão indo muito bem com os produtos. Acima de tudo, o meu alvo demográfico tende a ser para os homens, como a maioria das indústrias de tecnologias o fazem.

Entretanto, eu estou vendo mais mulheres empreeendedoras entrando na equipe. A diversidade é inacreditável. A idade varia de 25 a 50 anos e os tipos preferidos de aplicativos são para jogos e fotos. Todos tentam manter baixos os gastos. É mais importante ampliar a nossa rede de contatos do que gastar muito dinheiro num programa. A maior parte tenta investir no produto menos de US$ 5 mil.

A criação de um app necessariamente tem de ser em inglês ou pode ser em outro idioma?
Os apps são criados para obter a maior audiência possível. Assim, boa parte deles são publicados em lojas nos Estados Unidos. Nesse instante, todos estão procurando por aplicativos em inglês, mas eu creio que haverá uma mudança para mais produtos traduzidos à medida que for se ampliando a utilização dos smartphones.

Correio Braziliense