Estados Unidos vencem a Holanda e são tetra da Copa do Mundo

Estados Unidos vencem a Holanda e são tetra da Copa do Mundo

Pela quarta vez, a segunda consecutiva, os Estados Unidos venceram a Copa do Mundo de Futebol Feminino. Superior em todo o jogo, a seleção norte-americana mostrou a sua supremacia e confirmou o título com gols de Rapinoe, de pênalti, e Lavelle, em boa jogada individual.   Esta foi a terceira final consecutiva do país, que foi derrotado em 2011 para o Japão, mas deu o troco em 2015. Já a Holanda, chegou à sua primeira final em sua segunda aparição em Mundial e terminou com o vice-campeonato.

Pressão dos Estados Unidos e bela atuação da goleira holandesa A partida começou bem estudada, sem nenhuma das duas equipes se expondo. Ciente do início avassalador dos Estados Unidos nesta edição de Copa do Mundo, quando marcou um gol em todos os jogos antes dos primeiros quinze minutos, a Holanda se fechou bem e buscava através da craque Martens organizar um contra-ataque.

Os Estados Unidos controlavam mais as ações, mas sem chegadas com perigo. Apenas aos 27 minutos, as favoritas assustaram. Em cruzamento para a área holandesa, a bola sobrou para Ertz que mandou uma bomba. A goleira Van Veenendaal fez uma boa defesa, mas deu rebote.

O´Hara tentou aproveitar, mas a zaga fez o corte.  Dez minutos se passaram e as norte-americanas quase saíram na frente do placar. Mewis apareceu no meio da defesa da Holanda e obrigou a goleira salvar o gol certo. Na sequência do lance, Rapinoe encontrou Morgan, que bateu rasteiro e novamente a goleira Van Veenendaal estava lá para evitar. A bola ainda tocou na trave.

Principal nome da primeira etapa, Van Veenendaal voltou a aparecer aos 39. Morgan dominou na entrada da área e chutou de esquerda no cantinho. A goleira voou para fazer uma bela defesa e aliviar a torcida holandesa.  A melhor chance da Holanda veio já nos acréscimos. Em cobrança de escanteio no primeiro pau, a bola ficou viva na área, as holandesas tentaram por três vezes concluir, mas em todas, a zaga norte-americana conseguiu obstruir as finalizações.

Estados Unidos faz valer a superioridade e fica com o título A segunda etapa começou da mesma maneira que a primeira terminou, com os Estados Unidos em cima, procurando o gol e a Holanda fechada, marcando forte. E a segurança defensiva da Laranja Mecânica esteve bem até os 11 minutos. Em bola levantada na área, Van Der Gragt tentou cortar e atingiu Morgan. O lance foi para o VAR e a árbitra assinalou o pênalti. A capitã Rapinoe foi para a bola, bateu rasteiro e abriu o placar.

O gol fez a Holanda acordar. As europeis saíram da retranca e foram em busca do empate, mas deixaram espaços atrás. Aos 23, as norte-americanas aproveitaram. Lavelle arrancou pelo meio, limpou a marcação e bateu no cantinho, sem chances para Van Veenendaal. Estados Unidos 2 a 0.  Jogando com grande vantagem no placar e de forma tranquila, os Estados Unidos quase marcaram mais dois. Morgan saiu cara a cara com a goleira holandesa, que fechou bem o ângulo. Aos 30,

Dunn fez boa jogada pela esquerda, deu um bom drible na zagueira e viu Van Veenendaal fazer um milagre. A Holanda mostrou que ainda estava viva no jogo um minuto depois. Beerensteyn arriscou de fora da área e Naeher fez a defesa. Mais três minutos, Spitse cobrou falta e tirou tinta da trave norte-americana. A partir de então, a Holanda se lançou com tudo para o ataque, mas sem precisão nas trocas de passes e muitos espaços no sistema defensivo.

Aos Estados Unidos, coube esperar e organizar um bom contra-ataque que pudesse aumentar a vantagem. Ainda deu tempo para a experiente e craque Carli Lloyd participar dos minutos finais. Sem poder de reação da Holanda, os últimos lances da partida foram sem emoções e após o apito final, festa das norte-americanas.

O Gol