Estudante é assaltada por duas meninas, reage e é ferida no rosto com estilete

Corte de estileteUma estudante de 16 anos ferida no rosto por um estilete ao enfrentar duas adolescentes que tentaram assaltá-la, no bairro Santa Fé, em Cariacica. O crime aconteceu no final da tarde de quinta-feira (24), quando a menina voltava da escola para casa. Foram precisos 28 pontos para fechar o corte provocado pela arma.A vítima desembarcou do ônibus do bairro, por volta das 16h30. Ela realizou uma prova no colégio, em Vitória, e retornava para casa.

“Eu estava andando quando senti um puxão nos cabelos, e um estilete encostado em mim. Pensei que fosse uma brincadeira, sei lá, não vi quem era”, lembrou a estudante. Ela não será identificada por segurança.
A aluna do 2º ano do Ensino Médio contou que os assaltantes eram duas adolescentes. Uma delas empunhava um estilete e exigiu o celular.

O aparelho telefônico estava na minha cintura da estudante, onde ela carregava a blusa de frio amarrada. “Elas me revistaram, mas não acharam nada e acabaram levando o meu casaco e saíram andando pela rua. Eu fui atrás, em direção a um bar onde pedi socorro, mas ninguém ajudou. Acredito que pensaram ser uma briga de adolescentes”, detalhou a menina.

Corte

Ela procurou ajuda em um salão de beleza, onde gritou por socorro. O pedido de ajuda fez com que as duas assaltantes retornassem e passassem a agredir a estudante.

“Foi muito rápido, eu me atraquei com a que estava com o estilete e para afastá-lo de mim, eu a empurrei por uma escada para me defender. Acho que foi aí que ela me machucou, por pouco não atingiu uma veia do pescoço”, lembrou.
O corte atingiu a face esquerda da vítima. O empurrão fez com que a adolescente agressora deixasse cair o estilete.

“Ela veio para brigar na mão, não consegui correr porque eram duas. Caímos no chão, consegui segurar a garganta dela. A outra menina veio pra cima de mim também. Acho que ninguém ajudou e porque parecia briga de colégio”, destacou a estudante, que vestia uniforme escolar.Chovia forte no momento da agressão, as duas meninas caíram no chão e se atracaram. A outra adolescente infratora também entrou na confusão. A chegada de um motoqueiro foi o que fez a dupla de assaltantes parar.

Motoqueiro socorreu a adolescente
Um homem desconhecido, passou pela rua e viu a cena e ouviu os gritos de socorro da estudante.
“Ele parou a moto e desceu, mandou as duas irem embora sem levar nada. Minha mochila, óculos de grau, blusa de frio e celular estavam espalhados na rua e molhados”, detalhou a jovem.
As duas ladras fugiram correndo. O motoqueiro ajudou a estudante e a levou até em casa, na moto. “Nem pensei que era um estranho. Na moto, passei a mão no queixo e percebi que sangrava, mas nem tinha percebido o corte. Ele disse que eu não devia olhar o sangue e me deixou aos cuidados de uma vizinha”, disse a aluna.
A vizinha levou a menina para um hospital, onde ela recebeu 28 pontos no rosto. Ontem, ela ainda teve que tomar uma vacina anti-tétano, por precaução.
“Eu agradeço a esse motoqueiro desconhecido por ter me ajuda. Dificilmente encontramos pessoas que ajudam estranhos. Ele foi muito bom comigo”, completou.
PUBLICIDADE