Ex-marido de mulher morta na Barra tem a prisão decretada por participar do crime

Ex-marido de mulher morta na Barra tem a prisão decretada por participar do crime

Karina Garofalo – Reprodução Facebook

acordo com a Delegacia de Homicídios (DH) da Capital, Pedro Paulo Barros Pereira Júnior é suspeito de envolvimento na morte e o primo dele, Paulo Maurício Barros Pereira, teria atirado contra a corretora de imóveis. A prisão temporária dos dois, válida por 30 dias, foi decretada durante a madrugada pelo Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Rio.

Segundo a especializada, as motivações para o crime seriam uma disputa litigiosa de divórcio, que envolve um patrimônio milionário, e também a insatisfação de Pedro Paulo com a vítima estar feliz em um novo relacionamento. A polícia investiga a possibilidade de feminicídio — termo de crime de ódio baseado no gênero, amplamente definido como o assassinato de mulheres.

“Quem cometeu o crime sabia da rotina dela. O crime foi premeditado. Ela tinha o hábito de andar com veículo blindado e eles esperaram a oportunidade de ela estar a pé. Vigiaram a Karina desde o shopping”, afirmou o delegado responsável pelas investigações, André Barbosa.

Imagens obtidas pelo DIA mostram a corretora de imóveis com o filho no shopping Open Mall e o carro usado no crime estacionado à espera de Karina. Uma moto também teria sido usada na ação.

Imagens obtidas pelo DIA mostram que o carro já esperava a vítima – WhatsApp O Dia

A DH encontrou na noite de quarta o carro usado no crime, um Logan azul marinho, em frente ao condomínio Santa Mônica. Já na manhã desta quinta-feira a arma usada no assassinato foi localizada em uma sacola com um silenciador, além de uma pistola.

De acordo com o delegado, o primo foi reconhecido em imagens do estacionamento de um shopping porque estava com o rosto descoberto quando acessou a catraca. “Foi crucial pra identificar o atirador”, declarou André Barbosa.

A moto que teria dado suporte à ação estaria no nome de uma pessoa ligada ao ex-marido da vítima. Os filhos disseram em depoimento que já andaram naquela moto com o pai. Segundo as investigações, Paulo Maurício já tinha passagem no sistema policial por tentativa de homicídio.

O marido atual de Karina disse em depoimento que Pedro Paulo e a ex-esposa vinham brigando bastante, mas não tinha conhecimento sobre ameaças sofridas pela esposa. Segundo André Barbosa, a corretora de imóveis havia se separado em 2014 e estava com o novo companheiro há quatro meses.

A vítima chegava à sua residência, no Condomínio Américas Park, quando um homem atravessou a Avenida Malibu e fez disparos com uma pistola. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Karina Garofalo era natural de Volta Redonda, bacharel em Direito e filha do empresário Pepe Garofalo, já falecido, que era dono de distribuidora de jornais e diretor do Volta Redonda Futebol Clube.

Imagens de uma câmera de segurança mostram que o criminoso disparou pelas costas de Karina, que foi atingida três vezes na cabeça. Segundo a Polícia Militar, o homem estava encapuzado e fugiu em um Renault Logan.

O filho da vítima estava a alguns metros de distância da mãe e não viu o momento em que ela foi baleada, mas escutou um barulho de tiros semelhante a uma arma de paintball. Segundo o delegado, por causa dos videogames, o menino soube descrever com detalhes a arma do crime e que se tratava de um silenciador que estava acoplado na pistola.

O Dia