Explosão mata 1 em restaurante em Ansbach, na Alemanha

Explosão mata 1 em restaurante em Ansbach, na Alemanha

restaurante explosãoUma explosão ocorreu em um restaurante na cidade de Ansbach, ao sul da Alemanha, neste domingo (24) e matou uma pessoa. A polícia local também confirmou que outras 10 pessoas ficaram feridas.

Todo o centro de Ansbach está tomado por socorristas e a polícia está bloqueando os acessos ao centro, de acordo com a AFP.

Inicialmente, o canal de TV alemão NTV chegou a informar que as autoridades desconfiavam que a causa da explosão seria um vazamento de gás.

Exilado sírio
Mais cedo, um exilado sírio de 21 anos usou um machete (espécie de facão) para matar uma mulher e ferir outras duas pessoas no centro da cidade de Reutlingen, no sudoeste da Alemanha, antes de ser detido.

De acordo com o comunicado oficial da polícia, o homem, que havia solicitado asilo no país, discutiu com a mulher e a matou com um machado. Depois, feriu uma segunda mulher e um homem. Não há detalhes sobre o que motivou a discussão.

Ataque em Munique
A Alemanha está em clima de tensão desde a sexta-feira (22). Um ataque com arma de fogo acabou com 9 mortos e 27 feridos em Munique, na Alemanha. O caso ocorreu no shopping OEZ (Olympia-Einkaufszentrum) e arredores.

O jovem de 18 anos responsável pelos disparos planejou o ataque durante um ano, segundo investigadores alemães, e adquiriu a pistola Glock de 9 mm pela internet. O atirador tem dupla nacionalidade alemã e iraniana, estava sob tratamento psiquiátrico e não tinha relações com o Estado Islâmico.

O centro comercial fica perto do Parque Olímpico de Munique, onde aconteceram os jogos de 1972. Relatos de um segundo foco de tiroteio na praça conhecida como Stachus, no centro de Munique, foram desmentidos pela polícia à imprensa local. Autoridades declararam estado de emergência na cidade.

A chanceler alemã, Angela Merkel, convocou para este sábado (23), em Berlim, uma reunião de seu Conselho Federal de Segurança. Este conselho reúne, além da chanceler, os ministro de Defesa, Ursula von der Leyen, de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, o vice-chanceler Sigmar Gabriel, e o de Justiça e de Finanças, assim como o ministro da chancelaria, que na Alemanha supervisiona a atividade dos serviços secretos.

No momento do ataque, a chanceler estava começando suas férias nos Alpes, enquanto seu ministro do Interior teve que interromper uma viagem pelos Estados Unidos para retornar a Berlim.

O Globo