Falta de atendimento e agressão a deficiente no Trauma de Campina comprovam descaso na saúde do atual governo, diz Nonato - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Falta de atendimento e agressão a deficiente no Trauma de Campina comprovam descaso na saúde do atual governo, diz Nonato

PPS PARAIBAAs cenas de agressão a pacientes e acompanhantes registradas no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande e que levaram a Paraíba a ser destaque negativo na mídia nacional chocaram o vice-prefeito de João Pessoa, Nonato Bandeira. “Infelizmente, a aparição da Paraíba no telejornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo, só comprova o que eu disse ontem: o total descaso do governo do estado com a saúde pública. O problema é de má gestão, de insensibilidade administrativa”, lamentou.

 

Coordenador do Programa de Inclusão e Cidadania para Pessoas com Deficiência da Prefeitura de João Pessoa, Nonato Bandeira considerou absurdo o tratamento que o Hospital de Trauma de Campina Grande dispensou aos usuários do sistema de saúde. “O estado precisa entender que as pessoas têm o direito de serem tratadas com dignidade. Ninguém procura um hospital para brincar, mas para buscar atendimento médico. Na Paraíba atual, além de ter o socorro negado, as pessoas ainda são humilhadas”, criticou.

 

O vice-prefeito da capital demonstrou preocupação com a situação e apelou para que os órgãos de fiscalização e o próprio Governo investiguem o caso. “Quantas pessoas já passaram pelo mesmo constrangimento que esse cidadão passou e tiveram seus direitos negados por um estado que tem obrigação de garantir o acesso à saúde. É preciso dar um basta nessa situação”.

 

Nonato ainda cobrou do governador Ricardo Coutinho e do secretário de Saúde, Waldson Souza, respostas convincentes sobre o relatório do Datasus, órgão vinculado ao Ministério da Saúde, que aponta que o Ortotrauma de Mangabeira, gerido pela Prefeitura de João Pessoa e com 3 vezes menos recursos por mês, realiza mais atendimentos ambulatoriais e cirurgias do que o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

 

“Nenhum deles, até agora, veio a público para rebater a informação que apresentei. E não podem, simplesmente porque é o Ministério da Saúde que atesta o que estamos dizendo. Em vez disso partiram para o ataque pessoal contra mim tentando me intimidar. Mas eles dois me conhecem  muito bem e sabem que não tenho medo de cara feia”, disse.

 

Ele destacou que em 2013, o Ortotrauma realizou 657.517 atendimentos ambulatoriais, enquanto o Hospital de Trauma, terceirizado pelo Estado, atendeu apenas 261.118 no mesmo período. “Esse quadro se repete em procedimentos de radiologia, ultrassonografia e tomografia, e comprova que mesmo gastando R$ 4,5 milhões contra os R$ 12 milhões doa sociedade Trauma-Cruz Vermelha ao mês,  a Prefeitura de João Pessoa consegue, de forma eficiente, atender mais e melhor as pessoas que precisam de atendimento médico”.

 

Assessoria