Felipão se solta em coletiva, diz querer escalar Bernard e elogia Balotelli - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Felipão se solta em coletiva, diz querer escalar Bernard e elogia Balotelli

ad96f6d7f3daf6d627131c279973429b8b273dc0Por um instante, o Felipão de antes, aquele mais ranzinza, pintou na coletiva desta sexta-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Mas a face mais brava durou pouco. Apenas enquanto ele avisava da bronca que a CBF tomou da Fifa. De pergunta em pergunta, o bom humor apareceu. E o técnico da seleção brasileira arrancou risos, aplausos e fez revelações importantes, como o desejo de usar Bernard no time titular e a vontade de trabalhar com o italiano Mario Balotelli.

No caso do atacante do Atlético-MG, Felipão nem foi provocado a falar sobre ele. A questão era em relação à possibilidade de, assim como na Copa do Mundo de 2002, colocar todos os 23 jogadores para entrar em campo na competição. O técnico da seleção brasileira, no entanto, falou espontaneamente da intenção de colocar Bernard para jogar. Mas esse desejo esbarra em algumas coisas.

– Estou doidinho, vesgo para colocar o Bernard para jogar. Que alegria nas pernas tem o guri. Mas do outro lado tem o Lucas. Ótimo para mim que tenho esses jogadores. Espero conseguir lançar todos nesses cinco jogos. Porque para mim e para eles, também é um teste para o Mundial – falou o comandante.

Entre uma questão e outra, Felipão fazia caras e bocas, brincava com os jornalistas com que tem mais intimidade, interrompia as perguntas para dizer algo…

Quando questionado sobre o atacante italiano Mario Balotelli, por exemplo, o treinador da seleção brasileira deu sua tradicional bufada antes de elogiar o atleta.

– Muito bom. Ia penar um pouco comigo (se o enfrentasse, como zagueiro). Ia bater um pouquinho (risos). Gente boa demais. Se vocês tivessem a oportunidade de passar cinco minutinhos com ele, iam ver. É alegre, expressivo, fora de série. Gostaria de tê-lo conosco no Brasil. É espetacular – acrescentou Felipão.

O treinador do Brasil chegou até a comparar o atacante italiano com o ex-jogador Serginho Chulapa, de passagens destacadas por Santos, São Paulo e Seleção.

– Lembra o (Serginho) Chulapa, sim. Tem todas as características, força, técnica. A diferença é que ela sai mais pelo lado direito, e o Chulapa caía mais pela esquerda. Mas tem o mesmo estilo. É irreverente, tem qualidade e é muito bom jogador – opinou o treinador verde e amarelo.

Na entrevista coletiva desta sexta-feira, véspera de Brasil e Itália, pela terceira rodada do Grupo A da Copa das Confederações, na Arena Fonte Nova, em Salvador, Felipão lembrou também sobre o aniversário da conquista do tricampeonato.

– Para quem não sabe, há 43 anos o Brasil foi campeão contra a Itália. E um dos tricampeões está ali do lado, Carlos Alberto Parreira (então preparador físico). Para que a gente fosse tetra e penta, tínhamos de ser tri. Essa lembrança é muito importante – discursou Felipão.

Parreira, então, recebeu aplausos da maioria dos jornalistas presentes.