Festival de Cannes começa com polêmica sobre "Grace de Mônaco" - :: Paraiba Urgente :: Portal de Notícias

Festival de Cannes começa com polêmica sobre “Grace de Mônaco”

Festival de Cannes uouoO Festival Internacional de Cinema de Cannes abre suas portas nesta quarta-feira (14) com uma primeira “polêmica real”: os herdeiros da ex-atriz Grace Kelly rejeitaram o filme de abertura “Grace de Mônaco”, argumentando que o diretor Olivier Dahan “deturpou a história de sua mãe”.

Os herdeiros de Grace de Mônaco se recusaram a ir a Cannes para a projeção do filme de abertura “Grace de Mônaco”, fora de competição, na noite desta quarta-feira. Eles ficaram revoltados com a abordagem de Dahan sobre a vida da ex-atriz Grace Kelly, que renunciou à carreira ao conhecer o príncipe Rainier, em 1955, durante uma sessão de fotos no Palácio de Mônaco. Os problemas do diretor francês não páram por aí; o distribuidor americano está exigindo uma montagem diferente do longa para as salas de cinema dos Estados Unidos.

Polêmicas à parte, a presença dos atores principais, a bela Nicole Kidman e o carismático Tim Roth, deve garantir o glamour desta primeira noite na estação balneária.

Um outro filme também vai dar muito o que falar, trata-se de “Welcome to New York” (“Bem-vindo a Nova York”, em tradução livre),estrelado pelo ator francês Gérard Depardieu, inspirado no escândalo envolvendo o ex-diretor-geral do FMI, o francês Dominique Strauss-Khan, preso na Big Apple acusado de estupro em maio de 2011. O longa vai ser mostrado em primeiro lugar no Mercado de Cannes, seção que negocia a distribuição dos filmes pelo mundo.

Júri “de ouro”

O júri deste ano vai ser presidido pela roteirista e diretora neozelandesa Jane Campion, a primeira mulher a ganhar a Palma de Ouro de melhor filme em 1993 com “A Lição de Piano”. Entre os jurados, a diretora americana Sofia Coppola, o ator mexicano Gael Garcia Bernal, o ator americano William Dafoe… O mestre de cerimônias será o ator francês Lambert Wilson, um dandy charmoso de 55 anos.

Tapete vermelho

Quem vai subir neste ano os 24 degraus recobertos pelo tapete vermelho? O vampiro mais desejado do mundo, Robert Pattinson, além dos atores americanos Ryan Gosling, Tommy Lee Jones, Harrison Ford, Mel Gibson, das estrelas Julianne Moore, Kirsten Stewart, Hillary Swank e Marion Cotillard, entre muitos outros famosos e famosas.

A atriz francesa Léa Seydoux, que ganhou a Palma de Ouro no ano passado com “Azul é a cor mais quente”, volta em competição este ano em “Saint Laurent”, sobre a vida do inesquecível estilista, na direção de Bertrand Bonello.

Encontro de gerações

Entre os diretores com filmes em competição, destacamos os irmãos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne, o canadense David Cronenberg, os britânicos Ken Loach e Mike Keigh, os americanos Tommy Lee Jones e Bennett Miller, e o turco Nuri Bilge Ceylan.

Côté francês, o mítico Jean-Luc Godard, de 83 anos, que nunca recebeu uma Palma, Olivier Assayas e Michel Hazanavicius, que ficou famoso com “O Artista” e desta vez explora o conflito na Chechênia no seu aguardado filme “The Search”. O caçula dos diretores é o canadense Xavier Dolan, de 25 anos.

Um “festival de músculos” também está garantido com a presença de Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger.

Brasil e “O Sal da Terra”

O Brasil compete somente com um filme na mostra “Un Certain Regard”. Trata-se de “O Sal da Terra”, do diretor alemão Wim Wenders e do brasileiro Juliano Ribeiro Salgado, filho do fotógrafo Sebastião Salgado, que tem como tema a obra de seu pai.

O Festival de Cannes recebe cerca de 35.000 profissionais do cinema do mundo todo, entre eles, 4 mil jornalistas.

 

RFI